Em contrapartida à petição online que repudiava a presença de Miriam Leitão em Jaraguá do Sul, também foi criado um movimento a favor da jornalista na Feira do Livro.

O abaixo-assinado tem 332 assinaturas até o momento e deve continuar ativo, conforme a organizadora Dhienifer Pisdsura.

Dhienifer diz que analisa o caso como uma "retrocesso enorme", considerando que a feira diz respeitar todas as opiniões. "Cancelaram a presença de duas pessoas quando apenas três mil, que não representam nem 2% da população jaraguaense, são contra a presença dela", explica.

"É lamentável notar como algumas pessoas estão alienadas e não percebem a agressão que estão cometendo à democracia.  No ano passado o Brasil foi o 8º país com o maior número de mortes de jornalistas, é preocupante saber que aqui na cidade existem tantas pessoas intolerantes ao ponto de ameaçar de diversas formas a profissional", declara.

Dhienifer também pontua que criou a petição porque acredita que todas as vozes devem ser ouvidas e respeitadas, independente do posicionamento político.

"Também porque Miriam Leitão é uma jornalista de renome, principalmente na área de economia e negócios, e não é necessário concordar com todas as opiniões dela para respeita-lá", completa.

A organizadora e outros simpatizantes estudam a possibilidade de distribuir panfletos pela cidade para discutir e conscientizar sobre a liberdade de expressão.

Um painel de debate sobre o ódio nas redes sociais também deve ser incluído na programação da Feira do Livro, que acontece entre os dia 8 a 18 de agosto.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

WhatsApp  

Telegram  

Facebook Messenger