Guaramirim é um dos primeiros municípios brasileiros a integrar o Projeto de Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada de Riscos em Desastres Naturais (Gides). Uma equipe técnica da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) esteve nesta terça-feira (20) no município para apresentar o projeto, que complementa as ações da Defesa Civil. Numa iniciativa do governo federal, junto a Estados e municípios, o Gides prevê o mapeamento de áreas de risco utilizando metodologia japonesa. Em desenvolvimento desde 2013, os primeiros municípios brasileiros a receberem esse levantamento foram Petrópolis (RJ) e Blumenau (SC). Agora, cinco municípios do Estado estão sendo contemplados: Rio do Sul, Santo Amaro da Imperatriz, Braço do Norte, Herval do Oeste e Guaramirim. De acordo com o geólogo da CPRM, Thiago Dutra, a equipe participou de reunião técnica pela manhã e visita a campo para identificar os locais que oferecem risco na cidade. Ele explica que o Gides foi criado em razão da frequência com que os desastres naturais vêm acontecendo no país. Para aprofundar o entendimento sobre gestão integrada de risco, o governo brasileiro propôs ao governo japonês um acordo de Cooperação Técnica Internacional – CTI, porque os dois países possuem as mesmas especificidades. Esse acordo deu origem ao projeto. “Nosso trabalho envolve atividades de campo, coleta de dados, reuniões de serviço, análise estatística, que vão apontar o grau de perigo e vulnerabilidades das residências dessas áreas de risco. Utilizamos metodologia japonesa ajustada à realidade brasileira”, comenta Dutra. Segundo o geólogo, as diversas tragédias ocorridas no Brasil, incluindo a que atingiu o Estado em 2008, geraram a necessidade de um projeto de redução dos riscos de desastres geológicos por meio de medidas preventivas. Durante o trabalho, dependendo do tipo de processo que o solo apresenta, a equipe identifica o perigo para definir o risco. Os quatro processos mais problemáticos no Brasil são deslizamento planar, fluxo de detritos, deslizamento rotacional e queda de blocos. “Nessa simples saída de campo (em Guaramirim), a gente já identificou deslizamentos planares, fluxo de detritos e queda de blocos, mas a expectativa é que tenha os quatro processos aqui no município”, ressalta. São observadas áreas de loteamentos, futuros loteamentos e outros locais de interesse do município, e avaliados eventos que já ocorreram e indícios de problemas nos terrenos. O prazo de conclusão do estudo é de um ano, que começa a contar a partir de maio. O uso do plano de informação gerado pelo levantamento fica a cargo da Prefeitura. SOBRE A CPRM A CPRM é uma empresa pública vinculada ao Ministério de Minas e Energia, cuja missão é gerar e difundir o conhecimento geológico e hidrológico básico necessário para o desenvolvimento sustentável do Brasil. Os principais resultados do projeto Gides são: melhoria dos sistemas de avaliação e mapeamento de riscos, previsão e alerta e também o planejamento urbano na atuação de prevenção de desastres. Tais melhorias serão efetivadas após a elaboração e validação de manuais técnicos.