A fila para consulta médica especializada em Jaraguá do Sul já supera os 16,2 mil pacientes. Os dados da Secretaria Municipal de Saúde apontam que a maior demanda reprimida é a de oftalmologia, na qual 6.283 pacientes aguardam pela primeira consulta.

No total, entre as 22 especialidades ofertadas, somam-se 16.261 jaraguaenses aguardando.

Ainda de acordo com a secretaria, não é possível realizar um comparativo com os anos anteriores para saber se a fila cresceu ou diminuiu porque o setor não possui os dados totais de anos anteriores.

“Todas essas que hoje estão sem fila eu posso garantir que um tempo atrás existia demanda reprimida, mas nosso sistema não traz esse relatório de memória. As demais consultas [de retorno] estão condicionadas ao tempo que o médico pede, aos exames solicitados, por isso contamos a primeira consulta”, afirma a  gerente de Média e Alta Complexidade, Fabiane Conrado.

Além de oftalmologia, que lidera o ranking da fila, gastroenterologia, ortopedia adulta e proctologia possuem mais de mil pacientes a espera da primeira consulta.

Em contrapartida, endocrinologia, pneumologia e urologia não possuem fila de espera. Na fila de espera de oftalmologia, por exemplo, há pacientes com estimativa de atendimento para daqui a 1.204 dias, o que significa mais de três anos de espera.

Para o secretário de Saúde, Alceu Gilmar Moretti, é fundamental que se avance em algumas especialidades, como oftalmologia.

Ele afirma que a secretaria está prestes a firmar contrato para atendimento terceirizado e a expectativa é de zerar a fila em seis meses caso essa possibilidade se concretize.

Fila aceitável

Os dados sobre a espera que pacientes enfrentam por uma consulta especializada deixam o secretário de Saúde do município, Alceu Gilmar Moretti, incomodado.  Para ele,“uma fila aceitável” deve manter o paciente em espera por no máximo 90 dias.

“Não sendo urgente, dependendo da especialidade, o ideal e tolerável é esse prazo. Fora isso, quem acaba sofrendo é o paciente e os familiares deles. Nossa meta é fazer com que a fila caminhe a passos firmes para termos uma espera aceitável. Claro que sempre vai ter uma demanda reprimida, mas ela precisa ser o menor possível”, analisa.

Para o secretário, grandes demandas em oftalmologia e ortopedia são consideradas “normais” devido ao tipo de atendimento.

Ele avalia que os problemas oftalmológicos são comuns na população mais velha e o alto número de acidentes de trânsito acaba refletindo na fila por ortopedia.

Para minimizar o impacto da fila, ele afirma que a secretaria tem recursos próprios oriundos de um superávit de 2018 que poderá ser investido em contratação de profissionais para “pacotes” de atendimento aos pacientes jaraguaenses.

Além de oftalmologia, a intenção é disponibilizar essas ações para as especialidades com maior fila. “Estamos fazendo um levantamento para isso, para tentar organizar ações que possam minimizar essas filas”, complementa.

A parceria com hospitais do município para atendimento ortopédico também é uma das ações estudadas pela secretaria.

Números das filas

  • Angiologia – 480;
  • Cardiologia – 181;
  • Cirurgia Geral – 377;
  • Dermatologia – 110;
  • Endocrinologia – sem fila de espera;
  • Gastroenterologia – 1480;
  • Geriatria – 54;
  • Ginecologia -675;
  • Hematologia – 351;
  • Mastologia – 198;
  • Nefrologia – 58;
  • Neurologia – 23;
  • Neurologia pediátrica – 52;
  • Nutrição – 21;
  • Oftalmologia – 6283;
  • Ortopedia pediátrica – 32;
  • Ortopedia adulto – 3976;
  • Otorrino – 18;
  • Pneumologia – sem fila;
  • Proctologia – 1396;
  • Reumatologia – 495;
  • Urologia – 1.

Total: 16.261.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?