A campanha tem como objetivo levar a discussão para dentro das casas jaraguaenses | Foto Arquivo OCP News

A campanha tem como objetivo levar a discussão para dentro das casas jaraguaenses | Foto Arquivo OCP News

Na tela, informações repassadas de maneira direta, livre, com linguagem acessível e “jovem”. A campanha de Imunização “Vacina é coisa de família” foi lançada oficialmente na manhã de quarta-feira (11), na Escola de Educação Básica Professora Valdete Inês Piazera Zindars, com uma plateia qualificada.

Professores e profissionais envolvidos na campanha e na criação do vídeo institucional dividiam espaço com os alunos, astros da campanha.

Envolvendo adolescentes, a campanha tem como objetivo levar a discussão e a conscientização para dentro das casas jaraguaenses e, para a enfermeira e supervisora de imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Ana Kneipp, nada melhor e mais eficaz do que tornar os próprios adolescentes neste fio condutor de informação.

A estudante Jhoyce Maisa Campos, não apenas concorda como é um dos personagens que pode auxiliar o município a aumentar a cobertura vacinal. Para a adolescente de 17 anos, a informação é fundamental.

“É preciso conscientizar as pessoas que muitas vezes tem uma visão errada, falta conhecimento sobre todas as doenças que podem ser evitadas com a vacinação. Então, é preciso mostrar. Para mim, a informação é a arma mais poderosa para conscientizar as pessoas”, destaca.

Para a estudante, que acredita no sucesso da campanha, participar do vídeo institucional foi uma forma de “unir o útil ao agradável”, por meio de oficinas de cinema realizadas na escola.

Dessa maneira, conta ela, foi possível aplicar o conhecimento a uma causa justa. “Achei muito bacana focar neste assunto envolvendo adolescentes que estavam aprendendo sobre cinema, diz. "Eu acho mesmo que vai atingir o objetivo de informar a população”.

Índice abaixo da meta

Com um índice de cobertura vacinal abaixo do recomendado, Jaraguá do Sul trabalha para conscientizar a população e mostrar a importância da imunização de maneira global, não limitando a vacinação às crianças da primeira infância.

Ana conta que o trabalho com os adolescentes que é o pontapé inicial de uma campanha maior a ser realizada no segundo semestre e que envolve outras escolas. Estudantes de outras unidades também devem desenvolver vídeos falando sobre o tema.

Além disso, lançar uma campanha de conscientização em julho foi uma maneira estratégica de abranger todo o grupo populacional jaraguaense às vésperas da Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Sarampo, que ocorre entre os dias 6 e 31 de agosto, tendo o dia 18 como o “Dia D”.

Para Ana, a campanha é uma forma de fazer com que os adolescentes levem o assunto para dentro de casa, expandindo a informação de maneira mais leve, sutil e eficaz.

“As pessoas não vivenciaram essa doença e, para elas, parecia que isso nunca ia acontecer, mas estamos vendo os casos acontecendo. Embora não haja nenhum registro na cidade, essas doenças têm uma disseminação rápida e não podemos dizer que estamos livres”, enfatiza.

A enfermeira ressalta ainda que não há necessidade de esperar o período de campanha para procurar a unidade de saúde. Ela orienta a população a ir até a unidade básica de saúde mais próxima com a carteirinha de vacinação.

Quer receber as notícias no WhatsApp?