Jornalista Antônio Hélio Pereira perde luta para câncer de pulmão

Jornalista Antônio Hélio Pereira perde luta para câncer de pulmão Jornalista Antônio Hélio Pereira perde luta para câncer de pulmão

Cotidiano

Por: OCP News Jaraguá do Sul

quarta-feira, 06:54 - 21/02/2018

OCP News Jaraguá do Sul
Morreu por volta das 10h desta quarta-feira (21), no Hospital São José, em Jaraguá do Sul, o jornalista Antônio Hélio Pereira. Hélio tinha 61 anos, lutava há mais de três anos contra um câncer severo de pulmão e nesse período submeteu-se a quimioterapia e radioterapia. Na sexta-feira passada, foi internado com complicações respiratórias, com comprometimento dos rins e fígado, quadro que se agravou nos últimos dias com o aparecimento de lesão cerebral. Ele tinha três filhos: Natália, 31 anos, atriz e cantora, filha de Rosa Irene; João Pedro Stefani, 18 anos, filho de Néti Stefani; e Raul Agostini Pereira, 11 anos, filho de Sílvia Agostini Pereira. O velório está sendo realizado no Cemitério Municipal da Fazenda (7 de setembro, 1.878), em Itajaí e, em princípio, a cremação deve acontecer pela manhã desta quinta-feira (22), no Crematório de Itajaí. O jornalista Sérgio Homrich, companheiro de trabalho de longa data de Hélio, escreveu um belo texto ao amigo que também era conhecido como "José Trincheira". "Hélio é luta, sempre. Na década de 90, me "resgatou" da redação dos jornais oficiosos e foi diretamente responsável pelo meu ingresso na luta sindical. Honra imensa ter conhecido uma pessoa tão valiosa. Desde então, é um companheiro inseparável em todos os embates, sempre na trincheira da resistência. O nome José Trincheira, adotado nas redes sociais, resume a vida desse camarada, dedicada integralmente às lutas pela emancipação da classe trabalhadora. Nos últimos três anos trabalhamos, junto com as companheiras Maria Helena de Moraes e Sílvia Agostini, na produção/edição do programa Informa Luta, que vai ao ar na rádio Comunitária Alternativa 89,7FM de Jaraguá do Sul. Hélio apresentava o programa, mas há dois anos a doença afetou as suas cordas vocais e tive que assumir a locução. Ele se manteve na edição, até a semana passada. Perdi muitos amigos fraternos nesses anos (todos nós perdemos!) e outras tristezas ainda virão. A partida do camarada Hélio dói na alma e deixa a nossa luta mais fragilizada e ainda mais distantes as nossas alternativas de conquistar uma sociedade melhor nesse momento em que o Estado brasileiro é tomado de assalto pela corriola golpista. No entanto, o exemplo que nos deixa é gratificante e nos fortalece na trincheira onde ele sempre esteve. A saudade já aperta, implacável. José Trincheira, presente!"
×