Junção de secretarias, economia de R$ 240 mil ao mês com redução de comissionados e fazer o “dever de casa”, cuidando inicialmente da Saúde e da Educação. Estas são as primeiras medidas que o prefeito eleito de Corupá, João Carlos Gottardi (PP), pretende colocar em prática assim que der início ao seu governo, em 1º de janeiro de 2017. Eleito neste último domingo (2), ao lado do vice Arno Neuber (PP), Gottardi anuncia que vai fazer a reforma administrativa da Prefeitura e já possui duas alterações em vista, com a unificação de secretarias. A intenção, segundo ele, é colocar o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) juntamente com a Saúde, e juntar a Cultura e o Turismo com a Educação. Quanto à montagem do secretariado, apenas um nome já estaria definido, conforme adiantou o prefeito eleito. Para a Educação, deve assumir a professora Diana Seidel. O pepista explica que as secretarias com perfil mais técnico, em sua avaliação, serão ocupadas por pessoas eleitas pelos próprios setores representados, à exemplo da indicação da professora. Gottardi conta que uma reunião foi feita com os professores, que indicaram o nome de Diana. O mesmo deve ser feito com outras pastas, como de Turismo, Esporte e Agricultura, em que serão consultadas pessoas e entidades técnicas relacionadas à área. Na Agricultura, por exemplo, deverão ser ouvidos a Asbanco (Associação dos Bananicultores de Corupá), cooperativas e demais associações, como a de plantas ornamentais. No entanto, para as secretarias de Fazenda e Administração, chefia de gabinete e setor jurídico, Gottardi deverá nomear pessoas de confiança escolhidas por ele, por considerar que se tratam de áreas chaves. A reforma administrativa deverá buscar também, de forma imediata, a redução de 30 cargos comissionados. Segundo números oficiais levantados pelo eleito, a Prefeitura teria 58 cargos em comissão, fora as funções gratificadas, que são ocupadas por servidores de carreira. Com a medida, Gottardi calcula economizar os cercas de R$ 240 mil por mês. O pepista leva em conta os salários dos comissionados, que variam em torno de R$ 4 mil e R$ 5 mil, acrescidos dos benefícios e encargos, sejam eles diretos como vale transporte e vale alimentação, sejam indiretos, como despesas com energia elétrica. Desta forma, o corte final com dos comissionados chegaria a cerca de R$ 8 mil. A economia, que chegaria a quase R$ 3 milhões por ano, deverá dar certo fôlego ao caixa, explica Gottardi, ciente do comprometimento da capacidade de endividamento do Município e da queda de receita, o que não deixa muitas alternativas ao novo gestor. Propostas irão incentivar Turismo e Agricultura Considerando as características de Corupá, o prefeito eleito João Carlos Gottardi avalia que o município possui boas indústrias, um comércio “bom e pujante”, mas que é preciso desenvolver a industrialização, sobretudo, da Agricultura, e o potencial turístico da cidade. Para ambos os setores, Gottardi pretende trabalhar de forma a atrair investidores. Na Agricultura, a intenção é aproveitar ao máximo o principal produto de Corupá, a banana. Além de comercializar o fruto, seja in natura ou em outros formatos, e de utilizar a fibra para o artesanato, a intenção é também produzir farinha e biomassa, produtos em alta no mercado de alimentos saudáveis. “Se nós industrializarmos 20% da nossa banana hoje produzida em Corupá, podemos gerar em torno de 600 empregos, na produção da farinha da banana, da biomassa”, estima o prefeito eleito. Ainda para o setor, Gottardi planeja por nas ruas a patrulha mecanizada, com equipamentos como patrola e trator, e pessoal técnico, como engenheiro florestal, à disposição dos produtores. Para o setor de Turismo, o pepista espera desenvolver um programa municipal dedicado à área, com objetivo de gerar emprego e renda, “haja vista que poucas cidades do País têm o potencial enorme como Corupá tem, com mais de 70 cachoeiras, faz parte de rota de passeio ciclístico, que é considera entre as rotas mais lindas do mundo”, cita Gottardi. Com uma parceria entre setor público e privado, a ideia, diz o eleito, é atrair investidores a fim de estimular o fomento de uma rede hoteleira, entre outros segmentos do turismo. Outra medida deverá ser a construção de um portal do município, que vai identificar Corupá a quem estiver de passagem entre Jaraguá do Sul e São Bento do Sul, contribuindo para a atração de turistas. PP retorna à Prefeitura depois de oito anos Em nome da chapa, composta ainda pelo vice-prefeito eleito, Arno Neuber (PP), o prefeito eleito João Carlos Gottardi agradece aos eleitores pelos 4.904 votos. O pepista acredita que a população demonstrou na urna seu desejo por mudança e renovação. Isso porque o PP, concorrendo sem coligação e com apenas 13 candidatos a vereador, conseguiu derrotar o PSDB e PMDB, de Nininho Eipper e ToninhoTureck, candidatos da chapa concorrente. “O outro lado tinha seis partidos políticos, com 36 candidatos a vereador e com a máquina pública do seu lado, é a atual administração nesses últimos oito anos”, destaca Gottardi. O PMDB é o partido do atual prefeito, Luiz Carlos Tamanini, cujo vice é Loriano Rogério Costa, do PSDB. O PP chegou a eleger um prefeito, em 2004, com a vitória de Conrado Urbano Muller. Porém, o partido contou com o apoio do PSDB, legenda do vice de Muller, Dieter Werner. Nas duas eleições anteriores, de 2000 e 1996, a vitória foi do PMDB, com a eleição do atual prefeito Tamanini. Essa hegemonia, no entendimento de Gottardi, teria sido quebrada pela vontade dos moradores. “A população de Corupá realmente demonstrou que quer mudar, quer uma administração nova, participativa. Nas visitas que a gente teve, nas casas, o povo pediu que nós fizéssemos o simples, em primeiro lugar, que melhorássemos a saúde, e vamos melhorar, e a educação. E a partir daí, fazendo bem esse dever de casa, cuidando bem da saúde e da educação, vamos desenvolver Corupá em outras áreas”, afirma o futuro prefeito.