Neste primeiro momento, Jaraguá do Sul recebeu cerca de 10 mil doses da vacina | Foto: Eduardo Montecino/OCP News
Neste primeiro momento, Jaraguá do Sul recebeu cerca de 10 mil doses da vacina | Foto: Eduardo Montecino/OCP News

O número de casos de febre amarela confirmados no Brasil acendeu o alerta da OMS (Organização Mundial da Saúde) que, nesta semana, levantou a possibilidade de o país estar vivendo um surto da doença, especialmente porque o vírus continua se espalhando pelo país.

“Embora seja muito cedo para determinar se este ano apresentará os altos números de casos em humanos observados ao longo dos dois últimos grandes picos sazonais – entre 2016 e 2018 – há indicações de que a transmissão do vírus continua a se espalhar em direção ao sul e em áreas com baixa imunidade populacional”, destacou a entidade em seu alerta.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, entre julho do ano passado e o último 7 de fevereiro, 37 casos foram confirmados – nove destes foram óbitos. No Paraná foram confirmados dois casos.

Divulgados na quinta-feira (14), os dados do Ministério da Saúde revelaram que mais de 13 milhões de pessoas ainda não se vacinaram contra a febre amarela no Sul do país e todos os estados registram cobertura abaixo da meta – que é de 95%.

Em Jaraguá do Sul a situação não é diferente. De acordo com a supervisora de imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Ana Cristina Kneipp, o público não vacinado do município é de cerca de 67 mil pessoas.

Visando a proteção, a Secretaria da Saúde irá realizar ações de intensificação da vacinação nos próximos seis sábados – com exceção do dia 2 de março.

A supervisora ressalta que o público alvo é de crianças a partir dos nove meses até adultos de 59 anos.

Neste sábado (16), as unidades básicas de saúde dos bairros Vila Nova, Rau, João Pessoa, Estrada Nova, Rio Cerro, além da unidade Central estarão abertas das 7h às 16h realizando a vacinação.

Ana conta que foram distribuídas, neste primeiro momento, cerca de 10 mil doses da vacina e explica que o Estado envia o quantitativo em lotes de acordo com a demanda e para facilitar o armazenamento.

“Não haverá falta de vacina”, ressalta. Além das unidades de saúde, haverá dois pontos extras de vacinação: o shopping e o supermercado Giassi, das 10h às 16h.

Vacina em dose única

Kneipp chama a atenção para a importância da vacinação, que é dose única.

“Santa Catarina passou a ser área de recomendação, tivemos o vírus detectado no Paraná e é uma preocupação intensificar essa vacinação. Isso é um alerta para as pessoas, o vírus está descendo o nosso litoral e sequer podemos afirmar que ele não chegou em Santa Catarina, pode estar na mata. Por isso não se pode brincar com a prevenção”, salienta.

A supervisora ressalta ainda que o alto número de pessoas não vacinadas se dá porque a doença era uma realidade distante de Santa Catarina, com casos registrados na região Norte do país.

“Sabemos que como não era uma vacina de rotina, grande parte da população não está vacinada”, complementa. Ela explica ainda que quem já possui a vacina não precisa recorrer às unidades.

A única exceção, explica, são aquelas que receberam doses fracionadas em outros estados. Neste caso, após oito anos é necessário receber a vacinação.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?