A irmã Edena Bittencourt, da Fraternidade Mariana, está em Roma acompanhando de perto o andamento do processo de beatificação do padre Aloísio Boeing. Ela embarcou no dia 18 de abril para a Itália e volta na sexta-feira ao Brasil. A religiosa se reuniu ontem com a Congregação para a Causa dos Santos, e espera voltar com notícias positivas para Jaraguá do Sul. Segundo Edena, ela não encontrava dificuldades na missão. “Está tudo dentro do previsto”, afirmou a religiosa, que encabeçou a ideia de buscar a beatificação do padre Aloísio. Para ser beato, é necessária a comprovação de um milagre, enquanto que para ser santo, é preciso comprovar um segundo milagre após a beatificação. Esta também é primeira vez que a Irmã visita o Vaticano. “Celebramos os 10 anos que o padre Aloísio está no céu”, complementou ainda a irmã. Vale lembrar que no último dia 17 de abril, caravanas de fiéis de diversas cidades participaram das celebrações em honra ao padre Aloísio na Igreja Nossa Senhora do Rosário, em Nereu Ramos. O sacerdote nasceu em 24 de dezembro de 1913, em Vargem do Cedro. O processo que busca a beatificação de Aloísio Boeing foi iniciado em 2013, mesmo ano da fundação do Instituto Padre Aloísio, e encaminhado ao Vaticano em março de 2015. Por duas décadas, ele atuou como mestre do Noviciado da Barra do Rio Cerro. Antes de se fixar na igreja Nossa Senhora do Rosário, em Nereu Ramos. Durante o sacerdócio, também atuou em Pomerode e Brusque. Para marcar os 10 anos da morte, no dia 16 de junho de 2016, será lançado o documentário “Padre Aloísio, a santidade cotidiana”, que mostrará o homem comum que depois de ingressar na Congregação Sagrado Coração de Jesus, dedicou a vida ao acolhimento de devotos. O filme é da produtora Escritório de Cinema.