Passados 12 anos após a parceria entre a Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs) e a Sociedade Divina Providência, a última etapa de expansão do Hospital São José foi inaugurada ontem (22), mesmo dia em que a entidade completou 80 anos de história. Ao todo, foram investidos R$ 75 milhões para expansão da estrutura. O presidente do conselho deliberativo do hospital, Vicente Donini, conta que em 2004, as irmãs da Divina Providência, responsáveis pela gestão da entidade desde 1960, buscaram a associação empresarial do município por conta da dificuldade financeira do hospital, que juntava dívidas. Em vez de apenas aplicar o dinheiro diretamente, o empresariado considerou que a melhor solução seria também atuar na gestão do hospital. Inauguraçao hosp São Jose - em (1) “Muitas vezes, dinheiro sem gestão é igual jogar gota d’água em chapa quente, evapora. Então dissemos: só tem dinheiro se nós também pudermos atuar na área da gestão, para poder implementar no próprio hospital o que fazemos na empresa, em termos de racionalidade, de práticas de governança corporativa”, conta o presidente. A partir de então, foi dado início ao projeto de expansão do hospital, visando ao investimento em infraestrutura e modernização. A primeira fase de expansão começou no mesmo ano, quando iniciaram as obras de reforma da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Depois reformamos a ala Santo Antônio, e mexemos também no pronto socorro, aí fomos avançando”, completa Donini. Inauguraçao hosp São Jose - em (3) Na segunda etapa, o presidente destaca como obra mais relevante a construção do prédio de internação, o Centro de Oncologia e o Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI), ambos inaugurados em 2013. Nesta terceira etapa, foram inaugurados ontem o novo prédio de internação, nova área de administração e solário, revitalização do hall de entrada com a implantação do centro de memória e elevador, e a expansão do estacionamento. Novo prédio começa a funcionar em janeiro Com todo o projeto de expansão finalizado, o hospital passa de uma área construída de 15,6 mil m² para 22,7 mil m². O número de leitos de internação passa de 202 para 306, sendo 30 destinados à Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A expansão também contemplou ampliação da farmácia, implantação de um ambulatório geral e pronto atendimento exclusivo para pacientes particulares e de planos de saúde, além da abertura de duas novas alas para UTI. Do total de R$ 75 milhões investidos, R$ 25 milhões vieram do governo do Estado, sendo R$ 10 milhões durante a gestão de Luiz Henrique da Silveira e R$ 15 milhões no governo de Raimundo Colombo (PSD). O restante do valor total provém de recursos da Prefeitura, recursos próprios e do setor empresarial do município, por meio de doações. O novo prédio de internação e as novas UTIs entram em funcionamento a partir de janeiro de 2017, o restante das áreas já estão abertas para atendimento. O presidente do conselho, Vicente Donini, explica que a terceira UTI somente entrará em operação conforme a necessidade, o que estima que deve ocorrer a partir do segundo semestre do próximo ano. Por isso, Donini conta que os equipamentos ainda não foram adquiridos a fim de que sejam comprados equipamentos atuais. Ele observa que a tecnologia dos aparelhos de medicina se modernizam com frequência. Para custear o funcionamento das atividades e atendimento do hospital, o presidente reforça que será preciso continuar contando com o apoio da classe empresarial e da comunidade de Jaraguá do Sul, assim como da ajuda da classe política. O presidente comemora a mudança de 1% ao ano no repasse obrigatório do governo do Estado para a área da saúde, que aumentará de 12% para 15% até 2019, o que deverá beneficiar o Hospital São José. Além disso, durante a cerimônia de inauguração, o presidente também convocou a ajuda dos agentes políticos para a intermediação para obter recursos. Autoridades como prefeito Dieter Janssen e secretário de Estado da Saúde, João Paulo Kleinubing, além de empresários estiveram presentes.