O Senhor Incrível estava pronto para conduzir pelos corredores do Hospital e Maternidade Jaraguá cada uma das bruxas, fadas, princesas e outros tantos personagens fantásticos que se aglomeravam pelo prédio.

O jaleco branco foi deixado de lado nesta semana, dando lugar a vestidos coloridos, varinhas e máscaras. Os funcionários capricharam no figurino para levar magia ao hospital na "Semana da Criança”.

Na manhã de quinta-feira (11), o Balé da Scar levou ainda mais emoção aos pequenos pacientes da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) que estão longe das brincadeiras que recheiam o Dia das Crianças, nesta sexta-feira (12).

Para Jeane de Carvalho, a ação deveria se multiplicar ao longo do ano, afinal, entra dia, sai dia, e ela continua na unidade. Jeane é mãe de Thalita de Carvalho, que dos 13 anos de vida, mais de 12 se passaram entre as quatro paredes do hospital. Thalita tem a Síndrome de Werding-Hoffmann e desde os seis meses é residente do hospital.

A mãe conta que ter diante dos olhos apresentações e um ambiente diferenciado capaz de minimizar o impacto e o peso de viver dentro de uma unidade hospitalar fazem a diferença. “Não tem nem como explicar, só agradecer. É como eu falo, ações assim são a diferença para motivar, dar esperança”, diz.

Vestida a caráter, Thalita não era mais a filha de Jeane, mas sim uma bailarina, assim como aquelas que se apresentaram. Um dia antes, ela era a Elsa, de Frozen.

Já a mãe, escolheu a personagem Malévola e o cuidado e amor que dá à filha, explicam a escolha. “Eu sou uma mãe leoa e cuido muito dela. Nem tudo são flores e muitas pessoas dizem que tenho cara de brava, mas para quem assistiu o filme, vai saber como ela é e o quanto ela ama”, conta.

A pequena Ágata Luise, de apenas 3 anos está internada há quatro dias e também entrou no clima da fantasia. Vestida de Rapunzel, com direito às longas tranças e tudo, a garotinha assistiu com os olhos fixos a apresentação de balé, assim como participou das demais atividades realizadas ao longo da semana.

Para a mãe, Patricia Clerici, a iniciativa faz com que a rotina pesada de medicação e tratamento se torne mais leve para as crianças. “É muito bom porque foge da rotina do quarto, que é muito difícil”, avalia enquanto Ágata só tem olhos para o pirulito que acabara de ganhar da palhaça Frederika.

Benefício incalculável

Com cerca de 600 funcionários, o Hospital e Maternidade Jaraguá é referência quando o assunto são as crianças e não poderia deixar passar em branco o dia dedicado à elas. Por isso, o diretor executivo do hospital, Sergio Luís Alves, pensou em uma programação e uniforme diferentes para a semana das crianças.

Ele conta que a adesão dos colaboradores foi fundamental para o sucesso da ação. Segundo ele, cerca de 500 funcionários abraçaram a semana da fantasia. Não é à toa que ursos, piratas e até o Darth Vader desfilavam pela unidade.

Diretor destaca benefícios da ação | Foto Eduardo Montecino/OCP News

“Isso está dentro da nossa missão, o atendimento humanizado e a nossa vocação é o materno infantil. Dá uma leveza para o dia a dia e é emocionante ver o olhar atento das crianças que se prende a cada detalhe, a cada personagem, a cada atividade e apresentação”, destaca.

Além disso, o diretor ressalta a esperança de aproximar ainda mais a comunidade da unidade hospitalar.

A coordenadora de enfermagem da UTI Neonatal, Adriana Frederica Santos Cardoso, deixou o avental e vestiu a roupa e a peruca da palhaça Frederika, arrancando risadas de uns e olhares desconfiados de outros.

“É emocionante poder proporcionar um momento diferente para elas. Traz um benefício muito maior do que podemos calcular”, finaliza.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?