Família de Corupá pede uma cadeira de rodas motorizada para Matheus

Família de Corupá pede uma cadeira de rodas motorizada para Matheus Família de Corupá pede uma cadeira de rodas motorizada para Matheus

Cotidiano

Por: Ana Paula Gonçalves

quarta-feira, 08:00 - 21/02/2018

Ana Paula Gonçalves
Portador de uma doença degenerativa, Matheus Minatti, 19 anos, tem sonhos de um futuro melhor como qualquer outro jovem. Um dos seus objetivos é cursar faculdade de análise e desenvolvimento de sistemas, mas as dificuldades de locomoção estão impedindo essa e outras conquistas. Ele também gosta de pescar e passear, algo que não consegue fazer em razão do estado precário de sua cadeira de rodas motorizada, que utiliza há aproximadamente sete anos. Obeso em razão da doença, ele quase não cabe na cadeira. Por meio de um site de financiamento coletivo, sua família, moradora de Corupá, tenta levantar R$ 25 mil para comprar um novo equipamento. Segundo explica Rosane, mãe de Matheus, há sete anos a cadeira foi comprada com o auxílio de uma rifa. Ao longo do tempo, a família promoveu diversas manutenções, mas, agora, a situação chegou no limite. “Ele já não cabe mais na cadeira, porque está apertada e até machuca. Matheus é alto e hoje está pesando 140 quilos. Nós já tentamos conseguir outra cadeira pelo governo, mas já estou esperando há oito meses”, revela. Rosane diz que o encaminhamento foi feito por meio de assistente social de Corupá. Quer receber as notícias do OCP Online no WhatsApp? Basta clicar aqui A mãe ressalta que a cadeira de Matheus precisa ser especial, por causa da obesidade. E, embora existam equipamentos mais baratos, estes não seriam adequados às condições físicas do filho. “Sou assim por conta da doença, medicamentos, tomo vários medicamentos no dia a dia para o coração, pressão, pulmão, ossos, depressão, entre outros. Para dormir, já utilizo o aparelho Bipap (com uma máscara de oxigênio)”, revela Matheus. O jovem conta que a bateria da cadeira em uso está muito fraca e já não dura muito tempo. É necessário encaixar o cabo de uma colher para fazer funcionar os controles e as esponjas que revestem a estrutura já estão visíveis. Como a família busca resolver essa situação o mais breve possível, acabou optando por lançar a campanha no site “vakinha”. Até a tarde de terça-feira (20), o valor arrecadado somava R$ 1.745,00, bem abaixo do custo da nova cadeira motorizada. Conforme Rosane, as pessoas estão com certo receio de ajudar, especialmente depois do caso envolvendo a família de Jonatas Openkoski, portador de Atrofia Muscular Espinhal (AME), cujos pais estão sendo acusados de utilizar indevidamente o dinheiro doado para o tratamento do bebê. “É um caso que está repercutindo muito, sempre fica aquela incerteza, mesmo que a gente não esteja pedindo um valor tão alto quanto o deles”, aponta. A família também está preparando uma rifa para ajudar a custear a cadeira de rodas e estudando a possibilidade de outros eventos, como noite do pastel e pedágio. Com esforço no trabalho, os pais de Matheus adquiriram uma Kangoo adaptada, entretanto, ele já não cabe no carro devido à altura. Além disso, o veículo precisa de manutenção. Matheus parou de andar, mas não de sonhar O diagnóstico foi dado à família quando Matheus tinha apenas quatro anos: distrofia muscular do tipo Duchenne, doença de causa genética e degenerativa. É desenvolvida somente por pessoas do sexo masculino e evolui rapidamente. Há 12 anos, quando tinha apenas sete anos, ele parou definitivamente de andar. A mãe é diarista, mas não consegue conciliar o trabalho e os cuidados com o filho. O pai passou por cirurgia na coluna recentemente e está como beneficiário do INSS. Apesar das dificuldades, o casal faz tudo o que está ao seu alcance para dar uma vida digna a Matheus. Apaixonado por futebol americano, o jovem torcedor do Corupá Buffalos diz que seria jogador se pudesse andar. Como isso não é possível, sonha com a faculdade. “Gostaria de poder cursar a faculdade de análise e desenvolvimento de sistemas e também poder sair mais, passear e fazer outras coisas que os jovens fazem”, afirma Matheus. Como ajudar? A meta da família é arrecadar R$ 25 mil para comprar o equipamento. Contribua com qualquer valor por meio do site de financiamento coletivo: basta acessar www.vakinha.com.br/vaquinha/cadeira-motorizada-do-matheus
×