A Secretaria de Assistência Social e Habitação contabilizou 199 faltas a atendimentos agendados nos sete Centros de Referência de Assistência Social (Cras) desde o dia 1º até o dia 22 de julho. O absenteísmo está em 13% do total de agendamentos, um número alto e que prejudica o atendimento nos Cras.

A gerente de Proteção Social Bruna Pauli explica que, além de prejudicar o atendimento de uma família que necessita do Cras, a pessoa que falta ao agendamento também terá que aguardar 15, 20 dias ou mais para um novo atendimento.

O Cras Ribeirão Cavalo, próximo ao Condomínio Residencial Érika Modrock, foi o que mais registrou faltas neste mês. De 1º a 22 de julho foram feitos 295 agendamentos. Próximo da data de atendimento foram enviados os lembretes e confirmações. Mesmo assim, 56 pessoas faltaram, o que representou quase 20% dos agendamentos.

“Mesmo confirmando que virá ao atendimento (por meio telefônico ou whats app), alguns não comparecem no dia e horário agendado. Não sabemos por que isso acontece. Até mudamos nossa mensagem de confirmação, tentando sensibilizar os usuários a comparecerem ou avisar do não comparecimento”, conta a coordenadora do Cras Ribeirão Cavalo, Karina Mendes.

O Cras Ribeirão Cavalo é referência para aproximadamente cinco mil famílias dos bairros Ribeirão Cavalo, Braço do Ribeirão Cavalo, Tifa Monos, Nereu Ramos e Estrada Nova e faz, em média, 20 atendimentos por dia, a maioria para famílias em vulnerabilidade econômica, que buscam auxílio-cidadão ou atualização do CadÚnico.

O secretário de Assistência Social e Habitação, André de Carvalho Ferreira, pede aos usuários que avisem os Cras - com antecedência de até dois dias -, caso não possam comparecer.

“Se estiver ok com o agendamento, compareça no atendimento do Cras, pela sua família e por respeito a todas as famílias que aguardam sua vez”, apela o secretário.