A prática de exercícios físicos é parte fundamental de qualquer programa de combate à obesidade, mas um novo estudo publicado no periódico científico “Current Biology” indica que o aumento na atividade física não é sempre o bastante para perder peso a longo prazo, embora ela continue essencial para ter uma vida saudável. Segundo pesquisadores da Universidade da Cidade de Nova York (Cuny), o corpo humano acaba adaptando o nível de gasto de energia diário para permanecer o mesmo com ou sem a prática, o que significa que não necessariamente queimamos aquelas calorias extras apenas nos exercitando mais. Assim, eles defendem uma reavaliação dos impactos da atividade física no nosso balanço energético, e lembram a importância da combinação de uma dieta alimentar com os exercícios para alcançar os objetivos de perda de peso. “Os exercícios são realmente importantes para nossa saúde”, diz Herman Pontzer, coordenador do estudo. “Essa é a primeira coisa que destaco quando qualquer um me pergunta sobre as implicações de nosso trabalho. Temos toneladas de provas de que os exercícios são importantes para manter nossos corpos e mentes saudáveis, e o estudo não traz nada que mude essa mensagem. Mas o que nosso trabalho acrescenta é que precisamos nos focar na dieta, particularmente quando ela envolve o gerenciamento de nosso peso e a prevenção ou reversão de um ganho de peso não saudável”, explica. De acordo com os cientistas, a descoberta ajuda explicar porquê as pessoas que começam um programa de atividades físicas para perder peso frequentemente vêm um declínio, ou mesmo uma reversão, nesse processo em alguns poucos meses. Grandes estudos comparativos anteriores já tinham mostrado que pessoas com um estilo de vida mais ativo tinham um gasto de energia diário similar ao de pessoas mais sedentárias, mas até agora não havia nenhuma indicação direta de como isso influenciaria a perda de peso.