Segundo estudos, 50 milhões de brasileiros adultos seguem algum tipo de dieta, porem, mais da metade deles terá desistido nos próximos 60 dias, depois de 120 dias apenas 2% deles ainda estará mantendo alguma dieta.

A principal causa do insucesso? Dietas muito restritivas.

Quando optamos em retirar muita caloria do nosso dia a dia, bem como excluir toda uma classe de alimentos da nossa vida, por exemplo: açúcar ou gordura, o índice da serotonina, a substância do prazer, também acaba caindo drasticamente. As pessoas desistem, pois, apesar dos resultados positivos, não estão felizes de modo geral.

O jejum intermitente, uma das dietas mais famosas da atualidade, é também uma das mais difíceis de serem levadas a sério. Estudos feitos pela revista JAMA Internal Medicine apontam que a principal causa do insucesso a longo prazo desse jejum é que os seguidores da dieta, após passarem longas horas sem comer, acabavam exagerando em alimentos super calóricos para saciar a fome.

Com estudos cada vez mais divulgados na área de nutrição, a maioria das pessoas passou a adotar dietas menos severas. Duas em especial conquistam cada vez mais adeptos no Brasil:

  • Flexitariana: como o nome já sugere a dieta é guiada por alimentos com proteína de origem vegetal: soja, lentilha, feijão e nozes, porem ainda há alguma ingestão de proteína animal, mesmo que em menor quantidade.
  • Volumétrica: jejum que prega a diminuição da ingestão de calorias, mas mantendo o volume dos alimentos ingeridos no dia a dia. Valoriza alimentos com fibras, caldos e frutas ricas em amido: banana e manga, por exemplo. Também são permitidos alimentos de proteína animal e carboidratos.

Conheça algumas dietas mais fáceis de seguir: