Escola Luiz Ayroso encabeça a banda municipal

Banda Marcial Municipal de Jaraguá do Sul encanta regente, colegas e educadores no ensaio - Foto: Eduardo Montecino/OCP Online Banda Marcial Municipal de Jaraguá do Sul encanta regente, colegas e educadores no ensaio - Foto: Eduardo Montecino/OCP Online

Cotidiano

Por: OCP News Jaraguá do Sul

sexta-feira, 04:00 - 24/06/2016

OCP News Jaraguá do Sul
O rufar dos tambores, as batidas fortes das baquetas e a sonoridade empolgante dos instrumentos de sopro são vibrantes, contagiam e emocionam, tanto os próprios músicos da Banda Marcial Municipal - sediada na Escola Municipal Luiz Gonzaga Ayroso, no bairro Jaraguá 84 - como as plateias que os assistem. Atentos às palavras, gestos e expressões do professor-regente André Luiz Corrêa de Brito, os 28 integrantes demonstram, através do olhar, o orgulho em integrar o corpo musical. Enquanto participavam de mais um ensaio na quadra coberta da escola, na manhã de ontem, os músicos despertavam a admiração de colegas e educadores, comprovando a importância de se trabalhar educação e cidadania no dia a dia dos estudantes. A qualidade da performance desses alunos gerou o convite para participarem do 30º Concurso de Bandas e Fanfarras da Cidade de Gaspar, de 2 e 3 de julho. O sucesso com a implantação da banda marcial da Luiz Gonzaga Ayroso, criada em 2004, motivou a Secretaria de Educação de Jaraguá do Sul a implantar a Banda Marcial Municipal, em 2014.  Esse ano, por meio do “Projeto Bandas”, o grupamento musical ingressa na fase de expansão com a seleção de mais integrantes, a partir de julho. “Queremos chegar até 35 integrantes, que serão selecionados entre os músicos das bandas das escolas Albano Kanzler, Alberto Bauer e Jonas Alves de Souza”, revela o professor. Os ensaios ocorrem durante a semana e aos sábados. Bacharel em Regência e Composição, licenciado em Música pela UNB e mestre em Educação pela Furb, André há seis meses motiva e desperta os estudantes para a importância da música: “Sempre digo a eles que tocar na banda é amar música. A mesma emoção de vê-los tocando, quero que sintam, como uma possibilidade de crescimento pessoal”. A diretora, Ângela Mendes, atesta que a escola soma cerca de 335 alunos do ensino integral e que um dos pontos fortes é a inserção social e o resgate da comunidade. “Esses alunos, além de amarem música, tem a questão pedagógica, participam da banda, mas sabem que tem que ter um bom rendimento e comportamento”. Apaixonados por música O percussionista de quinton, Caio Vieira de Messias, 16 anos, estudante do 9º ano, se destaca não somente por ser o veterano e o mais alto da banda, mas principalmente pela expressão de alegria e satisfação com que toca o instrumento. Diz que antes da banda ficava em casa nos sábados de ensaio. Ele também é aluno de percussão do projeto Música Para Todos (MPT), na Scar. “Tenho mais motivação para tudo e para estudar também”, resume. Gabriel Raí de Oliveira Souza, 12 anos, do 7º ano, toca caixa. “Para mim, estar na banda é muito legal. Já deixei de ir à festa de família para ensaiar. Quero ser músico”, declara. De personalidade forte, a trompetista Débora Alves Bueno, 14 anos, do 9º ano, é monitora da banda municipal e também estuda pelo projeto MPT. “Amo música! Sinto muita emoção, orgulho de me apresentar. É uma oportunidade, junto com o estudo. A escola melhorou muito com a banda”, opina. ““Amo música! Sinto muita emoção, orgulho de me apresentar. É uma oportunidade, junto com o estudo. A escola melhorou muito com a banda”, Débora Alves Bueno.
×