De acordo com funcionários, dívida chega aos R$ 2 milhões | Foto Renan Reitz/OCP News
De acordo com funcionários, dívida chega aos R$ 2 milhões | Foto Renan Reitz/OCP News

O primeiro dia do mês de março caiu como uma bomba para os professores do Centro Educacional Dente de Leite, em Jaraguá do Sul.

Tradicional escola do bairro Czerniewicz, a Dente de Leite estava se preparando para comemorar os 24 anos de história em agosto, mas esta sexta-feira (15) ficará marcada como a data em que profissionais e alunos foram embora, sem a volta na segunda-feira.

Professora há 14 anos no local, Luciana Cristine Pinter, 41 anos, não esconde a tristeza por ver a escola na qual passou mais de uma década de vida encerrar as atividades e, para a família, é ainda mais difícil porque o companheiro também é professor na Dente de Leite e as três filhas do casal frequentavam a escola no contra turno.

“É uma tristeza muito grande porque existia um sonho em cima disso, um trabalho diferenciado. Até falei que há um medo de enfrentar um novo lugar, um novo trabalho. Aqui estávamos em família”, lamenta.

Comunicados no dia 1º de março sobre o fechamento da escola. “A decisão foi repassada nesse dia, reuniram os professores e decidiram que não dava mais”, diz.

Segundo ela, os professores estavam cientes das condições financeiras da instituição, mas a notícia pegou a todos de surpresa.

“A gente sabia que a escola estava passando por dificuldades, mas foi uma surpresa para todos, estão todos em busca de emprego”, conta.

A decisão de fechamento ocorreu após o período de matrículas e, por esse motivos, diversos alunos já tinham o vínculo renovado. Segundo professores, mais de 110 alunos a partir dos quatro meses de idade até o 5º ano estavam matriculados para 2019.

Dívida milionária

Os problemas financeiros escola não eram exatamente desconhecidos pelos funcionários, afirmam professores que não querem ser identificados. Segundo eles, os salários já vinham sendo pagos com atraso desde o ano passado, além do não depósito do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

De acordo com eles, são cerca de 30 funcionários que perdem os empregos e possuem valores a receber da escola. Além disso, a denúncia que fazem é de que a instituição, que possui três sócios, tem uma dívida de aproximadamente R$ 2 milhões que deve ser parcialmente quitada com a venda do prédio.

Ainda segundo os funcionários, há ainda uma penhora no valor de cerca de R$ 100 mil da própria estrutura, que deverá ser paga com a venda. A diretora administrativa não foi encontrada pela reportagem para comentar sobre o fechamento da escola e sobre as denúncias de dívidas.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?