Em um intervalo de 38 dias, Criciúma registrou 100 mortes por Covid-19. Hoje a cidade soma 380 óbitos devido à pandemia. O boletim de 5 de março é o que indicava 280 perdas para a Covid.

Somente na última semana, foram 23 óbitos, vitimando as mais diversas faixas etárias.

Hoje, a Vigilância Epidemiológica divulgou quatros mortes ocorridas nas últimas 24 horas.

"Lamentamos todas as perdas e seguimos trabalhando muito para amenizar esta situação que afeta todo o mundo", disse hoje o secretário de Saúde, Acélio Casagrande, na live do balanço dos primeiros 100 dias de governo.

Informe Epidemiológico

Nesta segunda-feira, Criciúma registrou mais 12 casos de Covid-19 e 31 curas.

A cidade já notificou 27.566 infectados pelo coronavírus e 26.409 recuperados da doença. Hoje há 777 casos ativos, 23 a mais que o boletim anterior.

Há ainda 149 sob suspeita, aguardando o resultado do exame, e 67.738 exames descartando para o vírus de 95.483 testados.

Hospitalizados

A semana começou com 185 hospitalizados devido à Covid-19, em Criciúma, seis a menos que o boletim anterior (ressalva para o número de óbitos).

Dos 185, 64 estão em leitos de UTI - dois a mais que ontem, 103 são criciumenses e, 82, pacientes de outros municípios.

Do total, somente 11 estão sob suspeita de contaminação, aguardando o resultado do exame.

À espera

A última atualização do Boletim Epidemiológico do Governo do Estado indica que há 24 pacientes à espera de um leito de UTI Covid-19 na macrorregional de Criciúma, que também engloba as regiões de Tubarão e Araranguá.