A desinformação tem sido um dos maiores inimigos na luta contra a pandemia do coronavírus, nas redes sociais, diariamente, diversas mensagens distorcidas são dadas como fatos.

Desta vez, uma das informações distorcidas é de que os cães estavam estranhando os donos que haviam recebido vacinas contra a Covid-19.

A informação não possui nenhum embasamento científico e possui características típicas de mensagens falsas: caráter alarmista, o texto é vago e não cita qualquer fonte confiável que confirme a informação.

"Cheiro" de Covid-19

O que há próximo disso é um estudo que utilizou cachorros para detectar casos de Covid-19 e envolveu diversas universidades inglesas como a Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres e a Universidade de Durham. Os cães das raças labrador, golden retriever e cocker spaniel foram treinados por dez semanas.

Os seis cachorros cheiravam roupas de pessoas que estavam infectadas e tiveram 94,3% de precisão, para comparação, o teste PCR possui 97% de precisão. Os cães não substituirão os testes PCR, mas serão muito úteis para fazer uma triagem em aeroportos e locais de circulação rápida de pessoas.

Foto: Reprodução/John Akehurst.

Nos testes, foram coletadas amostras de máscaras, meias e camisetas usadas pelas pessoas e os cães eram levados até as roupas para identificarem o "cheiro" da Covid-19 e darem um sinal aos pesquisadores. No fim dos testes, eles tiveram 94,3% de acerto de casos positivos e 92% de precisão para ignorarem os casos negativos.

Ou seja, a mensagem não passa de uma informação falsa que acaba desencorajando as pessoas que deveriam tomar a vacina contra a Covid-19.