Alguns estudo mundo afora já mostraram a importância dos alimentos para a cognição. A frase "você é aquilo que você come" nunca fez tanto sentido. Mas será que o desempenho nos estudos e na carreira, estariam associados à alimentação?

Segundo um estudo brasileiro feito com 3,5 mil bebês nascidos no Rio Grande do Sul, até a vida adulta, revelou que as crianças que foram amamentadas por mais de um ano tinham QI três pontos maior, 10% mais de escolaridade, bem como, maior renda aos 30 anos.

A pesquisa, publicada na revista The Lancet Global Health, considerou que o efeito positivo sobre o desenvolvimento dos neurônios é graças ao ácido graxo saturado que estão presentes no leite materno. Além disso, as crianças podem ter herdados um DNA que promove mais desenvolvimento cognitivo, pais mais inteligentes também se preocupam mais com a qualidade de alimentação dos filhos.

Depois que a criança passa pelo desmame, os alimentos continuam tendo efeito no desenvolvimento cerebral. Em outra pesquisa feita na Inglaterra, cientistas acompanharam o desenvolvimento de 14 mil crianças que nasceram entre: 1991 e 1992, chegando a conclusão de que hoje: as que tinham uma dieta regrada a frutas e saladas, tem QIs maiores do que aquelas que passaram grande parte da vida se alimentando de junk foods - comidas com baixos nutrientes.

Foto divulgação

Foi identificado ainda, que a alimentação nos 3 primeiros anos de vida da criança são os mais decisivos para o desenvolvimento das capacidades. O cérebro cresce em ritmo mais acelerado nesta primeira fase, a alimentação acaba dando uma forcinha.

Conheça os alimentos que fazem parte da dieta da mente e deixam a cognição mais apurada, o cérebro até 7 anos mais jovem, além de, reduzirem em 53% o risco de Alzheimer.

Consuma

Folhas verdes, um copo de vinho tinto por dia, azeite de oliva, oleaginosas ( nozes, amêndoas, castanhas, pistache), grãos integrais, peixes, carne branca, frutas vermelhas.

Evite

Queijos gordurosos, muita carne vermelha, margarina e doces.