Aos que enfrentam o desemprego e correm atrás de novas oportunidades, ou apenas os que buscam requalificação profissional para permanecer no mercado, a dica é procurar instituições que ofereçam cursos gratuitos e acessíveis ao bolso. O primeiro passo é procurar os sites para identificar os cursos do segundo semestre. Mas é preciso se apressar porque a procura geralmente é maior do que o número de vagas. Na unidade da Católica de Jaraguá do Sul, a capacitação em Inclusão Digital é direcionada às pessoas com mais de 40 anos, com objetivo social e pedagógico. Até o início da semana, das 30 vagas oferecidas, 21 já haviam sido preenchidas. Os dois cursos são ministrados por estudantes da Católica e as inscrições devem ser feitas no Setor de Projetos Comunitários. No Instituto Federal de Santa Catarina (Ifsc) uma das boas opções para quem aprecia a área técnica é conferir as vagas remanescentes do curso de Técnico Subsequente em Malharia, que até a tarde de ontem dispunha de 22 vagas para o turno vespertino e uma vaga para o noturno, com preenchimento pela ordem de chegada. O pré-requisito é ter concluído o ensino médio. A Faculdade do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) oferece a oportunidade para usufruir da Carreta-Escola de Gastronomia, direcionada aos profissionais da área e apreciadores, de 2 de setembro a 20 de outubro, no Centro Empresarial de Jaraguá do Sul (Cejas). Os cursos incluem aulas de confeitaria, panificação e cozinha geral, com carga horária a partir de três até oito horas-aula, o investimentos vai de R$ 180 a R$ 370. A unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc) está com lista de espera aos cursos a partir de setembro, como o de caixas revestidas de tecido. Também estão previstos cursos para a produção de enfeites natalinos, com uso de materiais de baixo custo e recicláveis. As capacitações duram de 10 horas a 20 horas, com aulas das 19h às 22h e, dependendo da demanda, também das 14h às 17h. Ainda não há definição em relação a datas e investimentos para esses cursos. Na unidade do Serviço Nacional da Indústria (Senai), estão abertas inscrições para novos grupos de Informática Básica e Libras Básico, previstos para iniciar em setembro, com custo de R$ 180. Já a educação de jovens e adultos, para quem deseja finalizar ensino fundamental e médio, as matrículas estão sempre abertas. Para os que atuam na indústria, os custos variam de acordo com a categoria, mas sempre são acessíveis. “Temos 1.200 alunos e esse ano, 10% são de alunos da comunidade. Em 2014 até 2015, 99% dos alunos eram da indústria”, atesta o diretor da unidade do Senai (Serviço Nacional da Indústria) de Jaraguá do Sul, Jefferson Galdino. “Mesmo quando fica desempregado, o aluno continua até concluir o ano”, ressalta o diretor. pagina 6 Resgatando o aprendizado O estudante Ian Wanken Milioni, 19 anos, está concluindo o ensino médio no curso do Sesi. O jovem morou três anos na India, de 2010 a 2013, acompanhando o pai que é engenheiro mecânico. Na volta ao Brasil, Ian teve de se readaptar ao ensino daqui para obter o certificado. Antes de buscar formação em engenharia, o passo seguinte será “fazer o curso de eletroténico no Senai”. A operária têxtil Vanessa Borchardt, 21 anos, decidiu concluir o ensino médio depois de dois anos no emprego. Conta que tinha parado de estudar em 2011 e que as exigências do mercado de trabalho a fizeram voltar à sala de aula. “Quero crescer mais. O estudo é importante tanto para subir na empresa como para conseguir um emprego melhor”, conta.