Patrícia, de 18 anos, recebeu título de Garota Down no ano passado - Fotos: Rafael Verch/OCP Online
O abraço que acolhe e conforta é a maior expressão de afetividade utilizada pelas pessoas com síndrome de Down. Essa característica marcante inspirou o evento “Semana Down Um Abraço”, lançado pelo terceiro ano consecutivo pela Apae Jaraguá do Sul com abertura amanhã (13) e encerramento em 21 de março, Dia Internacional da Síndrome de Down, com a participação das unidades de Guaramirim e Massaranduba.
Celebração religiosa para celebrar a vida das pessoas com síndrome de Down e famílias, debate sobre saúde, educação, embates para a inclusão, palestra, caminhada na Praça Ângelo Piazera e a escolha do Garoto e Garota Down, na London Pub, integram as atividades da programação, que está disponível no portal online jaraguadosul.apaebrasil.org.br.
“As pessoas com síndrome de Down tem esse lado afetuoso e o principal gesto é o abraço. O intuito do Grupo Renascer é a conscientização voltada à comunidade, para todos os segmentos sociais”, explica o assistente social David Crispim, coordenador do Projeto Semana Down Um Abraço.
Segundo ele, hoje são 300 usuários dos atendimentos de reabilitação da entidade, que desde 2015 integra o Conselho Municipal de Assistência Social. Dos 300 usuários, 60 apresentam a síndrome. O Grupo Renascer engloba aproximadamente 20 das 60 famílias que têm os filhos em atendimento reabilitatório. A Apae de Jaraguá do Sul é uma das que são apontadas como referência em infraestrutura e atendimento no Estado.
APAE - Rafa 9

Abraço é o principal gesto afetuoso de portadores da síndrome e motivou tema de campanha

Histórias de superação
A jovem Patrícia Bugança, 18 anos, que foi a Garota Down 2015, concorreu com mais quatro candidatas ao título e reconhece que ficou muito feliz ao ser escolhida. “Adorei, amei. Pulei muito de alegria”, recorda. Ela participa do programa Educação e Trabalho e decidiu que quer atuar com maquiagem.
Maicon Nicoletto, 21 anos, faz questão de frisar que fez aniversário em 28 de fevereiro. Ele concorreu a Garoto Down ano passado e diz que participará novamente. Sobre o programa Educação e Trabalho, revela que tem um sonho: ser DJ. “Quero ganhar dinheiro com esse trabalho”, afirma, decidido.
pagina 17