Uma confusão envolvendo estudante de medicina da Unisul, do campus Pedra Branca, em Palhoça, acabou em suspensão temporária da vacina contra a Covid-19 nesta quarta-feira (24). A prefeitura do município da Grande Florianópolis havia retomado a imunização em trabalhadores da área da saúde e incluiu 14 categorias no cronograma, dentre elas, acadêmicos em saúde.

No entanto, alunos da 1ª fase do curso de medicina também entraram na fila. O caso precisou da intervenção da Polícia Militar. Segundo informações da PM, houve um mal-entendido entre estudantes no local de vacinação. “O motivo do conflito era por causa de uma lista enviada pela universidade onde continha estudantes do 1º ano de medicina que estavam sendo vacinados”, explicou, em nota, o órgão.

 

 

A nota publicada pela prefeitura de Palhoça nesta terça (23), informa que “acadêmicos em saúde em estágio na Unidade de Saúde do município” podem ser vacinados, conforme uma lista, emitida pela Unisul. A imunização seguiu, mas obedecendo a ordem de chegada, mas quem não estivesse na lista não receberia a vacina.

A Secretaria de Saúde de Palhoça emitiu um comunicado explicando que todos os estudantes com o nome presente na lista exerce alguma atividade presencial na área da saúde.

O que diz a PMP:

“De acordo com a recomendação do Ministério da Saúde, referente à vacinação do grupo prioritário, a definição de “trabalhadores de saúde” (Ofício Circular nº 57/2021/SVS/MS de 12 de março de 2021) refere-se aos profissionais que atuam em estabelecimentos de serviços de saúde, o que inclui 14 categorias funcionais, entre eles “acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica em saúde em estágio hospitalar, atenção básica, clínicas e laboratórios.

O município de Palhoça informa, ainda, que possui convênio com a Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina), e os alunos, desde a primeira fase, atuam na policlínica, ambulatório médico de ensino integrado, nas 20 Unidades Básicas de Saúde e no núcleo de saúde mental”, conclui a nota.

 

O que diz a Unisul:

"A Unisul informa que de acordo com a recomendação do Ministério da Saúde, referente à vacinação do grupo prioritário, a definição de “trabalhadores de saúde” (Ofício Circular nº 57/2021/SVS/MS de 12 de março de 2021) refere-se aos profissionais que atuam em estabelecimentos de serviços de saúde, o que inclui 14 categorias funcionais, entre eles “acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica em saúde em estágio hospitalar, atenção básica, clínicas e laboratórios”. Reforçamos ainda que nossos alunos de medicina desde o início do curso atuam na policlínica, ambulatório médico de ensino integrado, nas 20 Unidades Básicas de Saúde e no núcleo de saúde mental.

Por fim, salientamos a importância da vacinação dos acadêmicos de saúde de todas as Instituições em um momento em que o País precisa de reforços na linha de frente ao combate a Covid-19”.