Comunidade da Barra do Rio Cerro aprova a edição do OCP Bairros

Márcio Nazatto se surpreendeu com a grande repercussão entre os amigos - Foto: Eduardo Montecino/OCP Online Márcio Nazatto se surpreendeu com a grande repercussão entre os amigos - Foto: Eduardo Montecino/OCP Online

Cotidiano

Por: OCP News Jaraguá do Sul

sábado, 04:00 - 25/06/2016

OCP News Jaraguá do Sul
A repercussão da primeira edição do OCP Bairros, com 24 páginas de cobertura completa sobre a Barra do Rio Cerro, encartado na edição de sexta-feira (24) do O Correio do Povo, não poderia ser melhor. A comunidade leu e aprovou a qualidade do produto final, não somente relacionado às informações sobre a infraestrutura, aspectos econômicos, culturais e religiosos, como também a oportunidade de conhecer sobre a história e seus personagens mais ilustres. O diretor do Jornal O Correio do Povo, Nelson Luiz Pereira, se mostra gratificado pelo reconhecimento ao esforço da equipe, que não mediu esforços para produzir um caderno com um olhar abrangente sobre a Barra do Rio Cerro: “A repercussão e a aceitação do primeiro jornal dos bairros superou as expectativas e isso nos dá a convicção da assertividade do projeto, que poderá avançar para outros bairros. Em julho, será a Ilha da Figueira”, antecipa. “Essa experiência nos comprova a necessidade de estarmos cada vez mais integrados com a comunidade jaraguaense, da forma mais abrangente possível”, pontua Pereira. A auxiliar administrativa de uma loja de artigos de arte e design em móveis, Sandra Madalena Rech, 34 anos, não poupou elogios ao periódico, enquanto folheava as páginas. “É bem legal, levanta os problemas, os pontos fortes, os pontos fracos. Às vezes, na correria, não se percebe o que tem de positivo. Achei bem interessante”. Na mesma linha se expressa o colega de Sandra, o projetista Lucas da Silva, 25 anos. “A Barra é um dos bairros mais populosos da cidade, um ‘centrinho’. Têm bancos, lojas, tanto que faço tudo aqui: compro e pago as contas”, destaca. O vendedor Arthur Ribeiro Silva, 18 anos, diz que recebeu a edição e se interessou. Entende que “todo mundo que mora aqui, não quer sair para comprar em outros lugares, quer resolver tudo aqui. Esse caderno foi uma boa ideia, para discutir e poder melhorar na estrutura”. A estudante da Escola Roland Harold Dornbusch, Isadora Pinheiro, 16 anos, moradora há quatro anos na Barra do Rio Cerro, acredita que o suplemento valorizou mais o bairro. “Leio o OCP e esse caderno mostra o que a Barra tem de melhor e o que tem para melhorar”. A também estudante Joice Caroline Krueger, 16 anos, que por 14 anos viveu na Barra e ontem passou por lá, é outra que gostou da edição. “Tem gente que gosta de ler jornal e acaba aprendendo mais sobre o próprio bairro. Traz mais conhecimento para mim, agrega mais”, observa ela, que estuda no 2º ano da Escola José Duarte de Magalhães. Sandra repercutindo especial Barra - em (1)

Auxiliar administrativa Sandra Rech considerou o suplemento bastante interessante

Valorização das origens O corretor de imóveis Rodrigo Rubini, descendente de uma das famílias que formaram o bairro, faz questão de dizer que gostou muito da forma com que a Barra foi retratada. “Para a Barra, vai ter um destaque, uma valorização, porque conta sobre as origens, as famílias tradicionais do bairro. Bem bacana, de grande valia, priorizando o pessoal daqui”, resume. “Hoje falta somente hospital e posto 24 horas. No mais, tem tudo o que se for buscar”, complementa. Lojista do ramo de motocicletas desde 1994 na Rua Ângelo Rubini, Márcio Nazatto, 48 anos , atesta que a edição do OCP Barra surpreendeu em todos os sentidos. “Achei fantástico! A repercussão foi muito grande aqui. Trouxe informações da parte histórica, muito bom. Mais de 10 amigos me contataram pelo whatsapp falando sobre o caderno e enviando fotos do jornal”, assinala. “O bairro está crescendo muito e vai crescer mais ainda”, assegura Márcio. O presidente da Associação de Moradores do Bairro Barra do Rio Cerro, Volmar Max, mais conhecido como Siri, também gostou do resgate das origens. “Foi contado um pouco da história, esse lado da nostalgia. Foi muito bem feito, bem completo, gostei muito. Foi muito bem feito em vários aspectos”, elogia.
×