Nesta sexta-feira (17), se encerra o prazo para as mais de 200 famílias da ocupação Jardim das Oliveiras, em Araquari, deixarem o local de forma voluntária.

Localizada na região central da cidade, as terras pertencem à Secretaria de Patrimônio da União (SPU), órgão do governo federal que moveu uma ação civil pública e recebeu aval para realizar a desocupação do local.

Mobilizados e realizando ações desde o dia 9 de janeiro, os moradores estão reunidos no terreno, onde fecharam as entradas para impedir uma possível reintegração.

Para o Erico do Carmo Dias, presidente da associação de moradores do Jardim das Oliveiras, o momento é de tensão. “Estamos nervosos e esperançosos para que o prefeito nos atenda”, explica.

Em contato com a reportagem do OCP Joinville, o comandante do 27º Batalhão da Polícia Militar de São Francisco do Sul, Celso Mlanarczyki, afirma que, até o momento, a Polícia Militar (PM) não tem nenhuma ordem para realizar ações no local.

“A PM está ciente da decisão judicial de desocupação da área, porém, ainda não foi oficiada para apoio policial em eventual ação da justiça”, ressalta.

Alguns moradores da ocupação afirmaram que durante a manhã desta sexta-feira, policiais de moto estavam próximos do local. Para Mlanarczyki, a medida é para acompanhar qualquer situação que possa desencadear na quebra da tranquilidade pública.

Ainda segundo o comandante, a PM entende que se trata de uma parcela da população buscando pelos meios legais a manutenção de seus interesses.

“Até agora, a relação entre a PM e manifestantes se deu de forma ordeira e legítima”, diz.

Erico afirma que as famílias devem permanecer mobilizadas. “Vamos manter todo o bairro mobilizado para se defender. Ao mesmo tempo, nosso setor jurídico está conversando para encontrar outras ações”, finaliza.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger