Com o crescimento do número de animais de estimação em casas e apartamentos, cresce também a oferta de produtos e serviços destinados aos pets. Roupas, acessórios, banhos, creches... mas também os dejetos.

Por lei, as fezes dos animais, como gatos e cachorros, são consideradas esgoto sanitário, da mesma forma que as dos humanos. Por isso, a forma ambientalmente correta para descartar esses dejetos é a mesma, pelo vaso sanitário, para que seja tratado pelo sistema de esgoto.

Mas, na prática, não é o que acontece. Por desconhecimento, a forma mais comum de as pessoas descartarem as fezes dos seus pets é jogando direto no lixo convencional, em sacolas plásticas.

Riscos

A engenheira sanitarista do Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto) Morgana Decker aponta que o volume de fezes animais recolhido pelo serviço de coleta em Jaraguá do Sul tem crescido consideravelmente.

Com isso, além de mau cheiro, também há risco de contaminação do meio ambiente e da população, já que ovos de parasitas eliminados nas fezes dos animais transmitem doenças aos humanos e animais.

Jogar as fezes em sacolas plásticas no lixo comum também traz riscos à saúde dos coletores, por exemplo, no momento da coleta, quando as sacolas se rompem ao serem compactadas no caminhão, permitindo o contato dos profissionais com o material possivelmente contaminado.

Outro problema é que as fezes nas sacolas ficam expostas às intempéries nas lixeiras, podendo trazer desconforto a população ao redor, como também serem carregados pela chuva ou vento para bueiros e rios.

Regra básica

Para prevenir os riscos, o Samae está preparando uma campanha de conscientização da população, informando sobre o descarte correto desses dejetos.

A regra básica é que fezes devem ser jogadas no vaso sanitário, tenham sido feitas em areia – como no caso de gatos – ou nos tapetes higiênicos, mais usados por cachorros.

Já o restante da areia e os tapetes, mesmo que tenham absorvido a urina, podem ser descartados no lixo comum, porém, muito bem embalados para não romper.

Como os dejetos animais devem ser descartados

Em casa ou apartamento

  • Descartar as fezes de animais na rede pública de esgoto sanitário ou no sistema individual de tratamento de esgoto, pelo vaso sanitário ou ralo no canil coberto.
  • Colocar a areia e tapetes higiênicos para a coleta convencional de resíduos sólidos, em saco plástico resistente ou em embalagem plástica ou metálica com tampa, junto com os demais rejeitos gerados na residência.
  • Evitar o acúmulo dos dejetos. O ideal é que seja realizada a limpeza diária do local onde os animais fazem suas necessidades.
  • Em condomínios, sempre recolher os dejetos das áreas comuns.

Na rua

  • Recolher as fezes, em sacos plásticos resistentes ou jornal, e embalá-las de forma a evitar o rompimento da embalagem.
  • Não deixar os dejetos embalados em qualquer lugar, como calçadas ou próximo a postes, etc.
  • Não jogar os dejetos em bueiros nem em terrenos baldios.
  • Levar os dejetos recolhidos de volta para casa e jogar no vaso sanitário. Descartar a embalagem utilizada com os demais resíduos da coleta convencional.
  • Numa emergência, em que não seja possível levar para casa, colocar os dejetos na lixeira mais próxima, devidamente embalados. Quando em pequena quantidade e disperso em outros resíduos, é possível a coleta desse material pelo caminhão da coleta de lixo.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger