Foto Eduardo Montecino/OCP News
Foto Eduardo Montecino/OCP News

Para diminuir o intenso fluxo de veículos no município, a Prefeitura de Jaraguá do Sul pretende investir na malha cicloviária, com a criação de novos espaços para os ciclistas.

Porém, as pessoas que utilizam o transporte alternativo reclamam da falta de manutenção das ciclovias existentes na cidade.

Os principais pontos levantados pelos moradores são a pouca iluminação e as condições precárias de alguns trechos. A operadora de máquina, Cristiane Glowatzki, de 42 anos, conta que seu marido sempre anda de bicicleta no período noturno e, pela falta de iluminação, caiu em um buraco na semana passada.

"O asfalto da ciclovia está muito ruim, está cheio de buracos e desníveis. Tem pessoas que andam de dia e outras à noite, então eles precisam dar uma olhada na iluminação", ressalta.

O haitiano Prince Jean, de 31 anos, veio para Jaraguá do Sul há menos de um ano e até se estabilizar na cidade, a bicicleta virou sua grande parceira. Ele diz que a ciclovias contemplam boa parte do município, mas que o estado delas não é o ideal.

O uso da bicicleta vem se tornando cada vez mais comum na cidade, mas os ciclistas pedem uma estrutura melhor para incentivar a população a circular com a bike.

O jovem Ítalo Matheus Lopes, de 21 anos, conta que atravessou a cidade de bicicleta para ir a uma entrevista de emprego e também opina sobre o estado da malha cicloviária. "Tem alguns pontos que precisa melhorar, mas no geral é bom", destaca.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

O diretor de Trânsito e Transportes, Gildo Andrade, enfatiza que a Secretaria de Obras realiza manutenção de acordo com a demanda. "Hoje (ontem) mesmo, foi solicitado material para fazer remendos nas ciclovias", destaca.

Ele afirma que a diretoria tem realizado pintura das faixas, melhorando a sinalização e visibilidade, além dos concertos periódicos. "Nossa equipe está trabalhando de madrugada para não atrapalhar o trânsito da cidade", enfatiza.

Segundo o secretário de Obras, Onésimo José Sell, existem partes da ciclovia que criaram um desnível com o tempo, causando ondulações e buracos. Ele salienta que está sendo feita a medição de cada trecho que precisa de revitalização para orçar o investimento necessário.

Sell destaca que quando surge um buraco no meio da ciclovia, um fiscal é mandado para promover o reparo rapidamente e não gerar problemas aos ciclistas.

Ciclovia do Trabalhador

Segundo o diretor do Instituto Jourdan, Luís Fernando Marcolla, o projeto da Ciclovia do Trabalhador está pronto e aguardando a liberação da empresa Rumo Logística, concessionária que administra a ferrovia.

A expectativa inicial era de que até o fim de 2019 o novo trecho já estaria sendo utilizado pelos jaraguaenses, mas isso depende das negociações com a empresa. Ele estima que a obra vai estar concluída quatro meses depois do início da construção.

O objetivo do projeto é ligar o bairro Nereu Ramos à WEG II, no bairro Centenário. Serão mais 10,1 quilômetros de ciclovia projetada e outros 5,8 quilômetros restaurados. Segundo Marcolla, o investimento previsto é de R$ 8,4 milhões.

Andrade comenta que esse é um plano de ação para melhorar cada vez mais as ciclovias da região, adequando sua utilização, a iluminação pública, pavimento. "As condições de uso precisam ser melhoradas e vamos fazer isso", garante.

Em 2018, Jaraguá do Sul ganhou seis quilômetros de ciclovias nos bairros Rau e Três Rios do Sul e outros 2,2 quilômetros na Vila Lenzi. Esse avanço fez a cidade fechar o ano passado com 63,7 quilômetros de malha cicloviária.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?