A exemplo do que foi feito no Oeste catarinense, o Governo do Estado ativou um Centro Integrado de Ações Contra a Covid-19 na Grande Florianópolis. A oficialização ocorreu após reunião entre o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, e prefeitos da região. O objetivo do grupo será pactuar ações regionalizadas, com reuniões diárias.

 

 

O Centro Integrado contará com a participação da Secretaria de Estado da Saúde (SES), da Defesa Civil estadual, dos órgãos de segurança pública e das prefeituras. Serão quatro grupos de trabalho independentes para tratar de temas como serviços em saúde de alta complexidade, atenção primária dos pacientes, fiscalização e vigilância e comunicação.

“Nós estamos aqui para estruturar um Centro Integrado que seja executor das ações mais emergenciais, visto que o cenário atual nos coloca essa necessidade. Temos um agravamento da pandemia em Santa Catarina e no Brasil, com a presença de novas cepas. É um vírus mais forte, atingindo de forma mais grave e mais rápida a sociedade. A nossa intenção com esse Centro é muito clara. Teremos reuniões diárias com demandas emergenciais a serem encaminhadas e decisões serão tomadas todos os dias”, afirmou o secretário de Estado da Saúde.

André Motta Ribeiro também exaltou a experiência com o Centro Integrado do Oeste, que ajudou a mobilizar as autoridades da região, com a tomada de decisões mais restritivas do que aquelas colocadas pelo Governo do Estado. O chefe da Casa Civil, Eron Giordani, e o chefe da Defesa Civil, David Busarello, também participaram da reunião que selou a criação do Centro Integrado da Grande Florianópolis. Os prefeitos presentes foram: Gean Loureiro (Florianópolis), Orvino Coelho de Ávila (São José), Eduardo Freccia (Palhoça), Salmir da Silva (Biguaçu) e Ricardo Costa (Santo Amaro da Imperatriz).