Os impactos da pandemia de Covid-19 não afetaram somente as pessoas em Jaraguá do Sul: entidades de proteção animal registraram um aumento na ocorrência de abandono durante o ano.

A quantidade de gatos e cachorros sendo acolhidos é grande e a paralisação das feiras de adoção acabou tornando difícil encontrar novos lares.

De acordo com a ONG Gang dos Patinhas, houve um incremento de 40% nos animais de estimação acolhidos.

No momento todos os 25 lares temporários estão lotados, fazendo com que a entidade não possa recolher novos animais abandonados.

Essa ocorrência de abandono está relacionada com a questão social: muitas pessoas se mudaram para lugares menores, voltaram a morar com familiares, voltaram para cidade e estados de origem e perderam emprego e capacidade de manter a casa.

Neste ano, a Gang dos Patinhas encaminhou mais de 250 animais e tem atualmente outros 89 esperando adoção.

 

 

A Ajapra (Associação Jaraguaense Protetora dos Animais) percebe a mesma situação, recebendo denúncias de abandono e maus-tratos diariamente.

Mas dessas denúncias, poucas são registradas na Polícia Militar, justamente porque os abandonos acontecem em lugares pouco habitados e horários de menos movimento, dificultando a identificação do infrator.

Segundo dados do 14º Batalhão de Polícia Militar, foram registradas até setembro 20 ocorrências de maus-tratos a animais e omissão na cautela ou guarda.

Conforme informações divulgadas pela BBC News, obtidas pela organização SaferNet Brasil, houve aumento de conteúdos na internet demonstrando ou incitando maus-tratos a animais durante o período da pandemia.

Entre 15 de março de 30 de junho deste ano foram registradas pela entidade 482% mais denúncias sobre o tema em comparação com o mesmo período do ano passado.

Lares temporários

O trabalho de recolhimento de animais e encaminhamento para adoção no município é feito por entidades voluntárias.

O poder público municipal interfere pelo setor de Zoonoses apenas quando o animal está em perigo eminente de vida, com algum ferimento ou machucado.

Com a grande quantidade de animais, faltam lares temporários, que os acolhem durante o processo de busca de um novo tutor.

“Atualmente, por falta de famílias dispostas a acolher, as famílias temporárias acabam tendo em média quatro animais hospedados, sobrecarregando a família que normalmente já tem seus próprios animais”, releva a voluntária da Gang dos Patinhas, Kelly Puccini.

As divulgações estão sendo feitas pelas redes sociais, mas as feiras antes feitas semanalmente fazem falta para engajar novas adoções.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul