Imagine acordar em um sítio de 107 mil metros quadrados, com pássaros na janela, mais de 100 pés de frutas, quatro lagoas de peixes, rodeado de muito verde e ar puro. E, para completar, produtos artesanais e naturais, sem agrotóxicos, prontos para serem saboreados. Acredite, esse lugar existe! Localizado no Jacu-Açu, no limite entre Guaramirim e Massaranduba, o sítio Sabor e Saúde é comandado pelo casal Neuzeli e Tomé Zimmermann. A harmonia entre os dois reflete no alto astral do lugar, onde tudo transpira alegria de viver. Nesse paraíso ecológico, que cativa o visitante desde o portão, onde o celular pega com dificuldade e ainda não há acesso à internet, não falta qualidade de vida. Para quem gosta de frutas silvestres, é só escolher: pitaya, cajamanga, fruta do milagre, acerola, cambucá, cambuci, batubari, graviola, tamarindo, manacubiu, rambutã, groselha, abiu, sapucaia, longano, cereja, cacau, mangostão, banana, cana-de-açúcar... Nas lagoas, tilápia, carpa capim, pacu, pintado e dourado, em parte comercializado para um pesque-pague vizinho. _PRF6020 “Aqui tudo é orgânico. Começamos plantando árvores frutíferas para alimentar os passarinhos, em 2008”, conta o metalúrgico aposentado Tomé, que reconhece ter mudado de vida após adotar uma alimentação saudável e começar a conviver com a rotina do sítio. Dali para a produção artesanal, em 2015, foi um passo. Para isso, buscaram apoio da Epagri e cursos de capacitação junto ao Senar, através do PER (Programa do Empreendedor Rural). Os dois integram o “Clube da Pitaya”, ligado à Amvali (Associação dos Municípios do Vale do Itapocu). “A gente se preocupa com a qualidade do produto. Pensamos em quantas pessoas precisam de uma alimentação com higiene e confiabilidade”, reforça. O rótulo de produto artesanal foi concedido pela Prefeitura de Massaranduba, em parceria com Guaramirim, por meio do grupo Rio Cristina, de Joinville, que integra 12 famílias dos três municípios. São expostos na feira que é promovida às sextas-feiras, das 9 às 19h, em frente à Prefeitura do município. Licores, geleias, polpas e temperos A professora aposentada Neuzeli Regina de Lima Zimmermann, 54 anos, observa que estão prestes a receber o CNPJ por meio do grupo Ecovidas, quando os produtos terão livre circulação no país. Dentre os itens produzidos estão a banana desidratada, gengibre em pó, açafrão da terra desidratado, temperos verdes, folhas de amora miúra, geleias, licores artesanais e polpas de frutas congeladas, com preços que variam de R$ 6 a R$ 15. A alimentação saudável também reflete na saúde de ambos, que passaram a ter mais vigor.“Tem que acreditar, gostar muito e ter uma visão esclarecida sobre qualidade de vida, buscar o conhecimento para cada dia aprender mais”, afirma Neuzeli.