Carnaval é tempo de brincar, pular e curtir, mas tudo isso com consciência e prudência. Os órgãos de saúde reforçam que diversão e prevenção devem andar lado a lado durante os dias de folia, sobretudo para evitar Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

Como já é de conhecimento público, o método mais eficaz para prevenir as ISTs é com o uso do preservativo masculino ou feminino em todas as relações sexuais. Para garantir que todos estejam protegidos, o Governo do Estado enviou aproximadamente 4 milhões de camisinhas aos 295 municípios catarinenses.

 

“Além de proteger contra ISTs, como sífilis, hepatites e HIV, o uso da camisinha também evita uma gravidez não planejada”, ressalta o médico infectologista da Secretaria do Estado da Saúde de Santa Catarina, Eduardo Campos de Oliveira.

 

Os preservativos serão distribuídos em festas, blocos de rua e blitze, além de ações pontuais. Eles também podem ser retirados, gratuitamente, nos serviços públicos de saúde.

Somente em 2019, foram diagnosticados 1.841 novos casos de infecção pelo HIV e 1.071 de aids em Santa Catarina. As pessoas que mais se infectam são jovens entre 15 e 34 anos, sendo quase dois homens para cada mulher.

Foto Divulgação

 

E se teve relações sem proteção?

A PEP (Profilaxia Pós-Exposição) é uma forma emergencial de prevenção da infecção pelo HIV mediante o uso de uma combinação de antirretrovirais, o conhecido “coquetel”. É recomendada para pessoas que tiveram relações sexuais desprotegidas, consentidas ou não. O tratamento deve ser iniciado, preferencialmente, nas primeiras duas horas após o ato ou, no máximo, em até 72 horas, e deve ser continuado por 28 dias, sempre com orientação médica.

 

 

Já a PrEP (Profilaxia Pré-Exposição) é um novo método de prevenção da infecção pelo HIV, com a utilização de medicamentos antirretrovirais. Consiste na ingestão diária de um comprimido, mesmo que não haja relação sexual. Os antirretrovirais impedirão o vírus de infectar o indivíduo, se houver exposição de risco (sexo sem preservativo).

Teste rápido

Nos serviços de saúde de todo o estado estão disponíveis os testes rápidos para o diagnóstico das ISTs. Os testes são práticos e de fácil execução, com leitura do resultado em, no máximo, 30 minutos. Eles devem ser realizados periodicamente e sempre que houver alguma situação de risco, como transar sem camisinha.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul