Nesta terça-feira (12), o prefeito de Brusque, Jonas Paegle, assinou um decreto que declara estado de alerta para o risco de falta de água na cidade. A medida foi adotada em razão do baixo nível do rio Itajaí-Mirim, principal manancial e fonte de abastecimento do município, causado pela estiagem que atinge diversas regiões catarinenses.

O decreto proíbe a utilização de água fornecida pelo Samae para encher piscinas, lavar fachadas, calçadas, pisos, muros e veículos com mangueiras e lava jatos de uso doméstico, até que a situação se normalize.

 

“Estive na captação de água do Samae, e a gente vê que o sistema hídrico do rio Itajaí-Mirim está abaixo da normalidade, então nós estamos dando um sinal de alerta para a população, para que cuidem e não abusem muito do uso da água, não desperdicem a água em lavar carro, lavar calçada, deixar as torneiras abertas, já que não sabemos quando virão as próximas chuvas”, explicou Paegle.

 

O diretor-presidente do Samae, Djair Machado, destaca que medidas legais podem ser tomadas, já que a situação exige cautela. “O nosso rio aqui no Centro, onde medimos, na ponte Estaiada, está com 70 cm, é um nível baixíssimo. O decreto vem exatamente nesse sentido, de orientar a população e proibir. Isso vai ser fiscalizado por meio da própria Fundema e do Samae. As pessoas que não estiverem obedecendo o decreto vão ser notificadas”, disse.

 

 

De acordo com ele, não há perspectiva de grandes volumes de chuva a curto prazo. "A previsão mais otimista é no final do mês de junho", afirmou Machado.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Telegram Jaraguá do Sul