Depois de uma espera de mais de duas décadas, o bombeiro voluntário de Corupá Lautaro Carreno Veja, 47 anos, pode voltar ao Chile e abraçar os irmãos novamente. Chileno, como é conhecido na comunidade, atua na corporação desde que veio para o Brasil, em 1996.

Ele sonhava em visitar a família há muito tempo, desejo que realizou contando com a solidariedade de pessoas da região. Por meio de um site de financiamento coletivo e até com doações feitas pessoalmente, o bombeiro arrecadou o valor necessário para a viagem.

“Pessoas que eu nem conhecia nos ajudaram. Um dia, nos bombeiros, uma senhora veio de Jaraguá do Sul e doou mil reais pessoalmente. Disse que a mãe dela havia mandado em agradecimento pelo serviço que a gente faz. As pessoas de Corupá também colaboraram bastante. Só temos a gradecer”, conclui.

Família se reuniu para recepcionar Chileno e Aline e matar as saudades | Foto Divulgação

Com auxílio da comunidade, Chileno conseguiu passar 15 dias em seu país de origem junto da filha Aline, 18 anos, que conheceu tios, primos e demais parentes. Ambos embarcaram no dia 17 de outubro com destino a San Antonio, mas também estiveram em Valparaíso, Viña Del Mar, Isla Negra, Almeida Flores e Cartagena.

De acordo com o bombeiro, foi possível reencontrar todos os sete irmãos, que se revezaram para recepcioná-lo e acompanhar as visitas a familiares e amigos.

“Tenho um irmão que mora em Valdivia e viajou 12 horas para me ver. Entre irmãos, tios, sobrinhos, acho que reunimos mais de 15 pessoas”, revela.

Família à serviço dos bombeiros

Aline e o pai registram passeio no porto de San Antonio | Foto Divulgação

Para Aline, que não conhecia a família do pai, foi uma grande experiência fazer sua primeira viagem internacional para encontrá-la. “Estivemos em vários lugares e foi maravilhoso”, comenta a jovem, que também é socorrista em Corupá.

Ela atua no Corpo de Bombeiros Voluntários há oito anos, inicialmente como bombeira mirim, passando por outras etapas até se formar resgatista.

Chileno revela que, agora, os irmãos já estão combinando uma visita ao Brasil, talvez no próximo ano. Ele diz estar muito grato a todas as pessoas que colaboraram para o reencontro no Chile e garante que, junto à filha, vai continuar trabalhando em benefício da comunidade, como faz há mais de 20 anos.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?