No início da tarde de ontem, a presença de estudantes era contínua no balcão de atendimento da Biblioteca Rui Barbosa, em Jaraguá do Sul. A responsável pelo serviço, Dianne Katie Konell Chiodini, conta que em 2015 foram atendidas em torno de 153 pessoas por dia, com 793 novos cadastros. Este ano, segundo ela, foram cinco novos cadastrados. Hoje o acervo giram em torno de 45 mil exemplares (títulos e periódicos). Neste mês, em 2016, a biblioteca registra 239 empréstimos desde o dia 14 até ontem. “O horário de atendimento deve ser adequado ao público, o mais importante é a variedade e qualidade dos serviços oferecidos”, destaca Dianne. Desde a semana passada, com a volta do recesso, os usuários estão gradativamente retornando, seja para leituras de periódicos, empréstimos de livros, renovação ou novos cadastros. Desde dezembro de 2015, como medida de contenção de custos da administração municipal, o espaço passou a atender de segunda a quinta-feira das 12h às 18h e, na sexta-feira, das 8h às 13h. Em janeiro, o local não abrirá aos sábados. “Em outubro de 2015, tivemos a reabertura do telecentro, com disponibilização de 15 computadores e rede wi-fi, e também a aquisição de 242 livros novos. Já estamos com nova listagem de livros quase pronta para a primeira compra do ano, mediante solicitação dos leitores e lançamentos”, atesta. Dianne lembra que a instituição recebe destinação do Fundo Municipal da Biblioteca, por meio de taxas e multas, para os investimentos. Aprimoramento Em 2016 devem ser aprimorados os programas de contação de histórias, Casulo, Biblioteca Convida e Leitura no Terminal. Outro projeto que terá continuidade é o “Ciranda Literária – Livros e Café”, que este ano passa a ocorrer na segunda-feira da segunda semana de cada mês, às 19h, com a presença de escritores e leitores. A próxima Ciranda será no dia 8 de março. A estudante carioca Viviane Garcia de Mattos, 29 anos, nascida em Angra dos Reis (RJ) e há um ano e meio na cidade, pisou ontem pela primeira vez na biblioteca jaraguaense e fez a carteirinha para empréstimo. “Gosto de romances, livros de espiritismo e de autoajuda. É bom ler, porque aí aprimora o conhecimento”, resume. Vinícius José de Araújo, 17, que concluiu o ensino médio em 2015, garante que desde pequeno gosta de ler, incentivado especialmente pela mãe, Márcia, que lia para ele quando era criança. Ele quer cursar Direito e busca ampliar o leque de leitura. Vinícius levou para ler “O diário de Anne Frank”, “Haxixe”, de Walter Benjamin, e Comédia, de Jandira Martino e Marcos Caruso.