Quando o horário de saída dos trabalhadores do primeiro turno de trabalho crava no relógio, as filas começam a se formar pelas ruas de Jaraguá do Sul.

E, segundo Marcos Luis Klein, em frente à casa dele, na rua Walter Marquardt, os picos de trânsito começam já por volta das 4h e o congestionamento é intensificado pela convergência entre a principal e a rua Frederico Curt Alberto Vasel.

Além do trânsito, ele relata problemas ainda mais graves: acidentes e até mesmo mortes devido aos problemas de mobilidade da região.Mas, se essa é uma demanda antiga da comunidade, o problema deve acabar a partir desta quinta-feira (17), quando a Diretoria de Trânsito e Transportes começa a aplicar a mudança que deve impactar significativamente no fluxo e na segurança de motoristas, pedestres e ciclistas que trafegam pela região.

Como vai ficar

A proibição de convergência na via se aplica em duas situações. A primeira é para quem está na rua Walter Marquardt e, até então, cruzava para a rua Frederico Curt Alberto Vasel, no sentido Centro-bairro.

Além dessa, a convergência de quem sai da rua Frederico Curt Alberto Vasel para a rua Walter Marquardt, no sentido Centro-bairro, também fica proibida a partir desta quinta.

Segundo o secretário de Planejamento e Urbanismo, Eduardo Bertoldi, a medida é necessária para promover segurança e fluidez no trânsito. Ele explica que além de formar filas, a convergência causava a invasão de motoristas à ciclofaixa, na tentativa de ultrapassar pela direita.

“Essa é uma demanda antiga da comunidade e entendemos que com essa mudança acaba esse conflito que tem no trânsito e a morosidade do fluxo. Além disso, é uma questão de segurança, especialmente para a ciclofaixa”, explica.

Rotas alternativas

O secretário Eduardo Bertoldi pontua que as mudanças irão impactar especialmente quem acessa a subida do Rio Molha. “Quem vai para a Barra não terá problema nenhum, vai fluir melhor o trânsito por não ter o entrave da Galeria Vasel”, destaca.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Para quem quiser subir e estiver vindo o Centro, a alternativa é entrar antes, na rotatória do posto Mime, e acessar a primeira à direita, a rua Domingos Demarchi.

Outra opção é seguir até a rotatória da ponte do Curtume e fazer a volta. Quem desce do Rio Molha e segue para o centro, continua normal. Para ir em direção ao bairro, as ruas laterais da Frederico Curt Alberto Vasel são opção.

Mudança deve aumentar a segurança

O pedido de mudança é realmente antigo, afirma Marcos Luis Klein. Segundo ele, que mora há anos exatamente ao lado do trecho da mudança, os acidentes são incontáveis no local.

Ele garante que a aprovação da comunidade é maciça. “Essa mudança demorou, já deveria ter sido feita há tempos. Não comporta mais o fluxo, isso já vai ajudar muito. Vai ser ótimo para a mobilidade”, ressalta.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Além disso, ele chama a atenção para a falta de segurança no local, com carros cruzando a pista e invadindo a ciclovia. Ele afirma que acidentes são constantes e mortes já ocorreram na região. “Essa esquina já matou algumas pessoas. Poderia até listar”, diz.

Ele chama a atenção ainda para a necessidade de investimentos em mobilidade urbana, acompanhando o desenvolvimento da cidade. Para ele, a instalação de ciclofaixas não é suficiente para tornar uma cidade eficiente no plano de mobilidade.

“O trânsito de Jaraguá do Sul é muito complicado e não se investe em mobilidade. O progresso chega e você tem que acompanhar, abrir mais ruas, investir”, analisa.

Para Victor Padilha, que trabalha em uma auto elétrica na região que terá o trânsito modificado e que utiliza diariamente a via, motoristas, pedestres e ciclistas devem estranhar a alteração, mas certamente irão se adaptar porque, ele ressalta, essa demanda é urgente.

“Vai amenizar muito o trânsito porque isso trava tudo. Além disso, a quantidade de acidentes que isso vai evitar é grande”, afirma.

O secretário afirma que em um primeiro momento, na quinta e sexta-feira, a alteração deverá ser sinalizada com cones e com a presença de agentes de trânsito que devem orientar o trânsito na região.

Após esse período de teste, serão instaladas placas de sinalização e refeita a pintura da rua. “Na quinta já devemos ter uma boa ideia do impacto dessa mudança”, avalia.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Bertoldi conta ainda que a secretaria tem selecionado situações pontuais para atuar, avaliando os impactos que mudanças podem ocasionar.

Outra alteração que pode acontecer em médio prazo é a retirada de uma “ilha” na avenida Getúlio Vargas, para facilitar o trânsito na região, mas ele ressalta que o projeto ainda está em estudo.