Ativista social de Joinville já fez mais de mil palestras por todo o país

Ativista social de Joinville já fez mais de mil palestras por todo o país Ativista social de Joinville já fez mais de mil palestras por todo o país

Cotidiano

Por: OCP News Jaraguá do Sul

sábado, 11:00 - 24/02/2018

OCP News Jaraguá do Sul
Vanessa Bencz. Se você nunca ouviu este nome, precisa perguntar ao seu filho, sobrinho ou amigo. Certamente um deles terá alguma história para contar envolvendo esta joinvilense, de 33 anos. A jornalista deixou a profissão de lado para se dedicar à literatura e, por meio dela, combater, ao bullying, a falta de empatia e preconceitos. Com uma linguagem fácil e um carisma peculiar, não demorou muito para a jovem escritora cair no gosto da garotada. Vanessa Bencz se tornou ativista social e virou referência nacional no assunto. Autora de cinco livros, com mais de 12 mil exemplares vendidos, ela tem sido muito requisitada para palestrar para crianças, adolescentes e adultos, país a fora. Já participou de muitos encontros nacionais e programas de televisão, levando a bandeira da tolerância, e do respeito ao próximo. No último dia 7, Vanessa Bencz rompeu a barreira das 1 mil palestras realizadas sobre o assunto. A palestra emblemática ocorreu em São Bento do Sul, em um auditório lotado de professores. Coincidência ou não, foi em fevereiro, há seis anos, que a jovem repórter decidiu assumir o desafio de promover o diálogo sobre bullying e empatia, largando um emprego estável para se aventurar na literatura. “Todo este reconhecimento, e mais do que isso, poder mudar a realidade de pessoas que vivenciam o desrespeito ao outro, tem sido muito gratificante”, diz a escritora. “Estou muito feliz, em fevereiro também completo dez anos de formação como jornalista. Jamais pensei estar tão feliz e satisfeita como estou hoje, realizada, atuando como ativista social”, acrescenta. Além das palestras, Vanessa tem dedicado sua atenção na escrita de seu sexto livro, desta vez voltado os professores. “Quando comecei, realmente, ultrapassei o foco, que no início era voltado aos estudantes do ensino fundamental. O projeto foi crescendo, expandindo, quando vi já estava falando com turmas de pais, professores, assistentes sociais”, conta. “Agora senti a necessidade de abordar como os professores também sofrem com desrespeito no exercício da profissão. Este será o tema do meu sexto livro, que vai se chamar ‘A caneta vermelha pede socorro’”, a previsão é lançar a obra no segundo semestre.
Joinvilense tem feito palestras e divulgado seus livros em todo o país | Foto Arquivo pessoal
Bullying, gênero, gordofobia, intolerância religiosa A ativista social Vanessa Bencz comenta que durante os encontros e palestras, vários temas vem à tona. “Estes assuntos variam muito conforme a região. Cada qual tem uma demanda maior ou menor para determinados temas”, explica reforçando que independentemente disso, a palestra sobre bullying sempre acaba sendo uma conversa franca a respeito da empatia, valores, determinação, coragem, respeito, igualdade. Para a autora cada palestra é diferente, tem suas dificuldades e necessidades. “Vejo focos distintos de Santa Catarina e São Paulo, por exemplo. Por aqui, os pedidos são para tratarmos de assuntos sobre preconceito racial, já mapa acima, o que pega mais é a intolerância religiosa. Mas temas recorrentes como a gordofobia, questões de gênero e orientação sexual sempre acabam requisitados nas palestras.  Minha missão é levar falar que independentemente da situação precisamos exercitar o respeito a diferença e a vida com empatia”, finaliza. Saiba mais: | Conheça os livros de Vanessa Relato do Sol Memórias de uma Jornalista Distraída A Menina Distraída Leia Quando Chegar em Casa Por Enquanto *Reportagem de Windson Prado
×