Associação dos Surdos de Jaraguá do Sul discute valorização e respeito aos direitos

Associação dos Surdos de Jaraguá do Sul discute valorização e respeito aos direitos Associação dos Surdos de Jaraguá do Sul discute valorização e respeito aos direitos

Cotidiano

Por: Adrieli Evarini

sexta-feira, 02:30 - 23/02/2018

Adrieli Evarini
Valorização da cultura e respeito aos direitos dos surdos. Essa é a missão e o objetivo principal da Associação dos Surdos de Jaraguá do Sul (ASJS) em 2018. Pensando em aproximar ainda mais a comunidade do trabalho desenvolvido na entidade, a associação realizará neste sábado (24) uma assembleia geral. De acordo com o presidente, que deverá ser empossado justamente nesta assembleia, Paulo Sérgio Praxedes do Monte Araújo, o objetivo do evento é, além de sua apresentação como presidente, demonstrar aos surdos, familiares, intérpretes e a todos os interessados em apoiar a comunidade surda, as ações projetadas para este ano e o cronograma das mesmas. “O evento será especial para a posse e para unir as pessoas interessadas em apoiar a cultura surda. Teremos também a presença da coordenadora da Educação Especial, do secretário de Educação e dos criadores do projeto de acessibilidade para os surdos em Jaraguá do Sul”, conta. Fundada em 2001, a associação busca, afirma o presidente, a conquista dos direitos dos surdos, ainda negligenciada no país. “Os surdos estão buscando a conquista de seus direitos, mas para isso precisam do apoio de toda a comunidade surda, intérpretes e familiares. Muitas propostas de melhorias são elaboradas para movimentar a sociedade a conhecer a cultura surda e este deve ser um trabalho em conjunto”, ressalta. De acordo com Praxedes, Jaraguá do Sul possui, atualmente, 1.080 pessoas surdas ou deficientes auditivos. Outro ponto fundamental e que deve ser sempre lembrado e intensificado, para o presidente da ASJS, é o respeito e cumprimento da Lei de Libras – Lei nº 10.436/2002 –, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais e do Decreto de Libras – Decreto nº 5.626/2005 –, que regulamenta a Lei de Libras, entre outras, e trata, por exemplo, da inclusão de libras como disciplina curricular. Para o presidente da ASJS é fundamental que lei e decreto sejam respeitados para que além de respeitar, de fato, os direitos da comunidade surda, a cultura surda possa ser amplamente divulgada e apoiada. A participação da comunidade surda e o desenvolvimento de ações de inclusão são os pontos destacados por Praxedes na trajetória de quase 17 anos da entidade. Já para este ano, a proposta é a divulgação da associação e a solidificação da cultura e direitos dos surdos na cidade. “Atualmente, em 2018, a proposta está voltada a outro tipo de organização. O foco está na divulgação da Associação de Surdos de Jaraguá do Sul e levar ao conhecimento da sociedade toda a cultura surda, para que assim possamos quebrar as barreiras da comunicação e de alguns paradigmas”, destaca. O destaque deste ano fica por conta da conquista da sociedade ouvinte, ressalta Praxedes. “Motivar as pessoas que apóiam a comunidade surda a se unir em prol dos direitos dos surdos lutando para mostrar sua cultura diferenciada através de libras. Essa socialização que já vem acontecendo e deve ser mais intensa ainda acrescenta e muito na vida social do surdo, além de melhorar a sua qualidade de vida”, explica. O evento acontece neste sábado (24), às 14h no Sesi, localizado na rua Walter Marquardt, 835, no bairro Barra do Rio Molha.  
×