Antídio Lunelli e Ivo Konell encerram sabatinas do Cejas

Cotidiano

Por: OCP News Jaraguá do Sul

terça-feira, 08:29 - 27/09/2016

OCP News Jaraguá do Sul
O Centro Empresarial de Jaraguá do Sul (Cejas) realizou ontem a segunda plenária especial de sabatinas, desta vez com os candidatos a prefeito de Jaraguá do Sul Ivo Konell (PSB) e Antídio Lunelli (PMDB). A sessão de uma hora e meia de perguntas – colhidas junto ao meio empresarial do município – iniciou às 18h14 com a chapa de Konell, contando com a participação do candidato a vice-prefeito, Junqueira Junior (PSDC). Konell diz estar mais preparado para assumir a Prefeitura Com mediação do ex-presidente da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs), Gilmar Moretti, a sabatina começou após uma breve apresentação de Konell e Junqueira, seguida pela pergunta - feita a todos os candidatos que participaram das sessões - que questionou porque motivos o candidato decidiu concorrer ao cargo de prefeito, e se julga que está preparado para a função. “Respondo de forma muito sincera, sou candidato a prefeito porque eu não consigo ficar em casa quando vejo minha cidade no estado em que encontra”, respondeu Konell. “Essa não é a Jaraguá que sonhei e que ajudei a construir. 60% das obras públicas de Jaraguá foram construídas em meu mandato e da Cecília (Konell, esposa, ex-prefeita)”, complementou o candidato. Konell afirmou que em princípio não iria disputar à Prefeitura, mas que o apelo da população que, segundo o candidato, pedia sua volta, acabou pesando para a decisão de concorrer. Além disso, Konell acredita estar 50% mais preparado para o cargo em relação à época em que estava no comando do Paço. “Era mais jovem, e jovens muitas vezes cometem erros. Hoje estou muito mais maduro, sou um homem que me atualizo sempre e não consigo viver sem objetivo”, complementou o candidato. Também dando espaço ao candidato a vice, a entidade questionou sobre o que esperar do relacionamento entre ambos, considerando o histórico de rompimento entre prefeito e vice, no município. Declarando que Konell já teria se tornado um amigo, Junqueira também citou a experiência do ex-prefeito e seu conhecimento sobre a cidade, o que contribui para a sua vontade de poder ajudar a população. “Para entrar na política tem que gostar de gente, tem que se doar, estar disposto a ouvi-las e querer ajudá-las de alguma forma. Pensamos igual, queremos lutar pela cidade, temos pulso firme e queremos fazer a cidade andar novamente”, finalizou Junqueira. Konell não quis responder à pergunta da reportagem - feita a todos os candidatos que participaram da sabatina - a respeito das principais propostas para o setor empresarial de Jaraguá do Sul. Lunelli defende desburocratização e nova condução na política O incremento e a dinamização da economia de Jaraguá do Sul, para que o município volte a crescer, são as principais propostas do candidato a prefeito Antídio Lunelli (PMDB) ao setor empresarial da cidade. Ao lado do candidato a vice-prefeito Udo Wagner (PP), a participação do empresário, ontem, da segunda noite de sabatina do Cejas encerrou a série de plenárias especiais com os candidatos majoritários. Sobre sua proposta para o setor produtivo do município, Lunelli diz que irá atuar fortemente nesta área, destacando que em Jaraguá do Sul seriam mais de 5,5 mil pessoas desempregadas. Ele afirma que a desburocratização é uma das formas de concretizar sua proposta. “Acho que se criou muita burocracia para coisas pequenas, então precisamos olhar cada caso e criar um manual de procedimento para facilitar e agilizar as questões”, conclui o candidato. Também respondendo à pergunta sobre os motivos que o levaram a disputar ao cargo de prefeito e quanto a sua avaliação sobre estar preparado para a função, Lunelli afirmou que não concorda com a forma como a política vem sendo conduzida no País, e que reflete em Jaraguá do Sul, e acredita que seu histórico de vida aliado a sua experiência profissional o qualificam para a disputa. “Meus pais e avós são agricultores, fui criado na roça até os 17 anos de idade, depois fui empregado e mais tarde começamos nossa empresa. Eu sei das dificuldades que é ser agricultor e empregado, e também sei o que é ser empreendedor e industrial, isso me habilita a fazer uma boa gestão do município”, declarou. Sobre a pergunta direcionada ao vice, a entidade questionou também quanto ao papel que caberia a Udo Wagner, se eleito. Também empresário, Wagner disse que sua experiência na vida pública – tendo sido secretário municipal e deputado estadual – complementa a experiência que falta, no momento, a Lunelli. “Não vou ser decorativo, serei atuante, vou ter missão específica, a gente tem que ter objetivos claros, metas, para depois de quatro anos poder andar de cabeça erguida por ter trabalhado pelo Município”, declarou Wagner.
×