Natural da Bahia, Zoraide se encantou pela cidade, onde conhece o companheiro Maurício | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Natural da Bahia, Zoraide se encantou pela cidade, onde conhece o companheiro Maurício | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Durante o mês de julho, 25 pessoas vão ilustrar  a campanha “Temos 25 motivos para sorrir”, que o Grupo Breithaupt está desenvolvendo em parceria com a Rede OCP News e a 105 FM. O objetivo da série é contar as histórias de pessoas que compartilham o mesmo dia de aniversário com Jaraguá do Sul: 25 de julho. Confira!

Quase destino. É assim que a história de Zoraide Santos, 24 anos, parece ter começado em Jaraguá do Sul. Desde pequena, a baiana, natural de Euclides da Cunha – há seis horas da capital Salvador -, sonhava com outras oportunidades para sua vida. Entretanto, nunca havia imaginado que chegaria tão longe de casa.

Leia mais: 25 motivos para sorrir: Gisele encontrou e construiu seu lar em Jaraguá do Sul

“A gente era bem amiga, colega de escola e vizinha. Aí ela veio [a Jaraguá do Sul], conversou comigo, me chamou para vir junto, mas eu não quis, fiquei com medo porque é muito longe para vir sozinha sem a família”, relembra Zoraide.

Mesmo assim, a amiga não desistiu, e durante dois meses continuava a ligar e mandando mensagens para que Zoraide finalmente tomasse a decisão que, ainda que não soubesse como, mudaria para sempre sua vida.

Zoraide conversou com a mãe, Luzia, e tomou coragem para mudar de cidade, longe há mais de dois mil quilômetros da terra natal, chegando em agosto de 2015. “Eu não vim com nada encaminhado, eu acreditei, vim e deu certo. Dois meses depois eu já estava trabalhando”, conta a balconista.

Para ela, Jaraguá do Sul possui muito mais oportunidades que sua cidade na Bahia, principalmente para os mais jovens como ela.

O jeito leve e sincero de Zoraide ajuda a explicar porque sua adaptação na cidade foi tão fácil e profunda, como ela conta, assim como também acabou sendo conquistada pelo clima da cidade, que a agradou.

“Me adaptei muito bem à cidade, as pessoas sempre foram legais comigo e muito atenciosas. Também gostei do frio e não quero mais saber de calor”, ela brinca.

Ela conta que logo no começo, em Jaraguá do Sul, costumava se perder pelas ruas da cidade, deixando-se levar pela curiosidade de conhecer o seu novo lar.

Zoraide saía sozinha para encontrar a amiga, aproveitando o horário de intervalo no emprego de Márcia para lancharem e passarem tempo juntas. “Quando eu cheguei aqui eu me perdi várias vezes, porque eu queria conhecer, eu sou muito curiosa”, revela.

Surpresas à vista

Ao mesmo tempo em que conseguia o primeiro emprego em Jaraguá do Sul, outras surpresas começavam a se movimentar na vida de Zoraide. Foi em uma festa de aniversário de amigos em comum que ela conheceu Maurício Alan Kades, seu companheiro há quase três anos.

Zoraide lembra que ao chegar na festa notou Maurício, que logo lhe chamou a atenção. De pronto, os amigos se mobilizaram e Maurício pegou seu número de telefone. “Daí a gente marcou para se conhecer e deu certo até hoje”, diz ela.

O casamento faz parte dos planos do casal, que já mora junto. Zoraide e Maurício vivem há cerca de nove meses na casa tranquila no bairro Barra do Rio Cerro, próximo dos familiares de seu companheiro. “Eu tenho uma nova família, que é a família do meu marido, minha sogra é como se fosse a minha mãe”, diz Zoraide.

Aos poucos os dois vão montando e mobiliando o lar, construindo uma vida juntos. “A gente se dá muito bem, é muito difícil a gente brigar, parece que eu vim para cá só para conhecê-lo”, conta ela.

Trabalhando no segundo turno, Zoraide conta que gosta de aproveitar o dia de folga e os momentos livres na rotina na companhia dos amigos e da família do companheiro. Aproveitar a beleza e a tranquilidade do Parque Malwee, próximo de onde mora, também faz parte da sua programação, já tão tradicional dos jaraguaenses.

Família deixa saudade

Vinda de uma família grande, de oito irmãos pelo lado da mãe, e de mais sete pelo lado do pai, Zoraide é bastante apegada aos irmãos e à mãe, com quem mata a saudade por aplicativos de mensagens e chamadas de vídeo.

“Minha mãe veio em 2016, ela passou um mês e então voltou. É ruim ficar longe da família, a parte ruim é só essa, eu sempre fui apegada à minha mãe, é muito ruim ficar longe dela”, conta.

Para este ano, Zoraide planeja ir para a Bahia, mas só para ver a família e passear, como ela diz. Voltar de vez não está nos planos desta jaraguaense de coração que criou laços profundos com a cidade.

Quer receber as notícias no WhatsApp?