Se você pratica ou torce para o bicicross de Jaraguá do Sul, há motivos de sobra para comemorar. Afinal, ninguém na história conquistou tantos – e tão importantes – títulos para cidade. E não está sendo diferente em 2018.

Campeão da Olesc e do Campeonato Catarinense – este pela 35ª vez -, além de estar prestes a levantar o troféu do Brasileiro neste fim de semana, a modalidade de ciclismo se consolida, cada vez mais, como o principal papa-taças do município.

Mesmo com um extenso hall de conquistas em um projeto que já perdura por 36 anos, a acomodação não tem lugar para equipe jaraguaense, que se reinventa e fomenta o esporte a cada ano.

Prova disto são os números da atual temporada, que superam os de 2017. O título estadual, como de costume, se repetiu, assim como etapas de eventos nacionais.

Porém, com um grupo maior em 2018, surgiram resultados ainda mais expressivos.  O mais recente foi na Olesc, tornando-se a única modalidade de Jaraguá a faturar o troféu de campeão geral.

Quatro representantes do bicicross na Olesc | Foto Eduardo Montecino/OCP News

VEJA MAIS: Boletim Olesc: Jaraguá do Sul é campeão geral no ciclismo

Um feito alcançado principalmente pelas medalhas de ouro – com Gabriel Schultz -, bronze – com Guilherme Feder - e demais pontuações entre os melhores colocados no BMX.

Mas também fruto de um trabalho iniciado neste ano na cidade, que tende a crescer sob o comando do técnico Guilherme Donat Bourscheidt, o “Borcha”, e do diretor Valdir Moretti.

Técnico Guilherme "Borcha" | Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Trata-se da integração de outras provas nos eventos da Fesporte, como cross country, team relay e estrada, que pontuaram e ajudaram Jaraguá a chegar ao título da Olimpíada Estudantil Catarinense.

“No bicicross sempre aparecemos fortes e sabemos que somos a principal força do estado. Já nos eventos da Fesporte estamos começando e por isso o título na Olesc foi uma surpresa. Está sendo um ano incrível, onde superamos as expectativas. Mas pretendemos melhorar ainda mais”, disse Borcha.

Equipe de Cross Country, Estrada e Team Relay da Olesc | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Novos desafios

Com o acréscimo de outras modalidades, a equipe jaraguaense trabalha hoje com cerca de 90 ciclistas. O bicicross carrega o maior prestigio e conta com patrocínios, como do Projeto Fia, que arca com diversas despesas durante o ano, além de apoiadores, como a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer.

Por outro lado, as demais categorias ainda sofrem com a falta de investimento e tem seus atletas como maior inspiração para levar Jaraguá a voos maiores no ciclismo, incentivados pelo técnico Borcha.

“Esses atletas não treinam focando em competições. Então primeiro tivemos que achá-los para fazer alguns treinos. Muitos nunca tinham competido. Foi um trabalho de iniciação e mesmo assim tiveram um bom desempenho”, declarou Borcha.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Com o destaque na Olesc, a expectativa aumenta em torno do ciclismo jaraguaense. Para 2019, o objetivo é formar um grupo fechado para todas as competições da Fesporte – Olesc, Jasc e Joguinhos -, buscando uma tríplice coroa. 

“Sabemos que é mais difícil, mas se pontuarmos bem em todas as modalidades podemos chegar”, finalizou o técnico jaraguaense.

LEIA TAMBÉM: Bicicross e uma história de muitos títulos em Jaraguá do Sul

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?