A tarde deste domingo (22) foi dolorida para a torcida Tricolor. Diante dos olhos de pouco mais de 2 mil torcedores, o JEC sofreu a 11ª derrota nesta série C e deu as mãos para a quarta divisão. O Botafogo, que luta pelo acesso, não tomou conhecimento da situação delicada do Joinville e marcou duas vezes para afundar ainda mais o Tricolor na crise. O resultado de 2 a 0 coloca a torcida muito perto de ver o terceiro rebaixamento do time em quatro anos.

O Joinville começou bem a primeira etapa, trabalhando a bola com Michel Schmöller e Breno. Aos 5 minutos, o jovem meia escapou pela direita, invadiu a área e soltou uma bomba cruzada e a bola carimbou a trave do goleiro Tiago Cardoso.

Leia mais: Fluminense perde para o Metropolitano pela série B do Catarinense

Se o Tricolor apresentava um futebol razoável criando chances pela direita, depois de sofrer o gol perdeu completamente o controle, errando passes, apostando demais em ligações diretas sem criação no meio-campo e mostrando descontrole. Foram quatro jogadores amarelados só nos 45 primeiros minutos de jogo.

Jean Lucas teve boa chance aos 12 minutos pela esquerda. De fora da área, limpou e chutou, mas Tiago Cardoso atento tirou para escanteio. Grampola também teve a oportunidade de empatar aos 15 após cobrança de escanteio de Zotti. A bola desviou e sobrou para Grampola perto gol, mas o atacante joinvilense cabeceou mal, a bola subiu e foi pra fora.

Aos 17, boa chance para o Botafogo ampliar primeiro com Pimentinha, depois com Felipe Augusto. Na primeira oportunidade, em jogada pela esquerda a bola passou pela zaga do JEC na área e sobrou para Pimentinha que carimbou a trave de Matheus, na sobra, Felipe Augusto desperdiçou.

Aos 21 minutos, Breno fez boa jogada pela direita e cruzou rasteiro para a área tentando encontrar Grampola, a defesa tirou e Tiago Ulisses ficou com a sobra, mas a zaga afastou. Aos 34 minutos, Michel Schmöller lançou Zotti que ajeitou para Jean Lucas. O meia bateu firme de primeira para boa defesa de Tiago Cardoso. No contra-ataque, Felipe Augusto perdeu um gol inacreditável que aumentaria o placar para o Botafogo.

Na volta do intervalo, Madson entra no lugar de Zotti, pendurado e, aos cinco minutos, o meia fez boa jogada pela esquerda. Jean Lucas tocou, Madson recebeu, entrou na área, tirou a zaga, deslocou o goleiro e cruzou para a pequena área, mas a zaga tirou para escanteio.

Assim como no primeiro tempo, o JEC continuou cometendo muitas faltas e Breno, Janderson – que entrou no lugar de Breno – Jean Lucas, Madson e Gualberto receberam o amarelo na segunda etapa. No total, nove jogadores terminaram a partida com cartão amarelo na conta.

Aos 10 minutos, Breno teve boa chance em bola finalizada de Grampola, afastada pelo goleiro, mas o meia tentou dominar e desperdiçou a oportunidade.

Grampola sofreu sem criação no meio e não conseguiu ajudar o time a evitar a derrota | Foto: Beto Lima/JEC

O Joinville seguia apostando em inversões e lançamentos diretos, sem ligação no meio-campo e, em contrapartida, o Botafogo valorizava a posse de bola, sem pressa nenhuma para sair jogando.

Aos 29, depois de perder a bola no meio em erro de Tiago Ulisses, o Joinville quase tomou o segundo. O time paulista aproveitou o contra-ataque com boa jogada de Pimentinha. Matheus Jussa recebeu e chutou de fora da área para defesa em dois tempos do goleiro tricolor.

Aos 32, Marlyson, que estava em campo há poucos minutos, recebeu de Alex Ruan pela esquerda, cruzou na área, mas Janderson pegou muito mal na bola e desperdiçou a chance do empate.

Já nos acréscimos, aos 49, novo contra-ataque do Botafogo que ficou no três contra um e não se fez de rogado. Caio Dantas entrou na área do Joinville e tocou na saída de Matheus para sacramentar a derrota Tricolor.

Tiago Ulisses foi o único jogador joinvilense a parar na zona mista e afirma que o grupo tem feito de tudo para conquistar os resultados. Ele ressaltou ainda que é preciso acreditar enquanto houver chance de evitar o rebaixamento. “A gente está tentando de tudo, mas agora é levantar a cabeça. Tem três jogos com times que estão brigando com a gente, três finais, três jogos das nossas vidas”, disse.

O presidente Vilfred Schapitz saiu em defesa da atual diretoria e, apesar de não sacramentar a queda, afirmou que os resultados negativos colhidos hoje são resultados de anos de trabalho sem planejamento e erros sucessivos. “Eu passei aos atletas agora mesmo que essa derrota não veio de hoje, veio de três, quatro anos atrás. Não podemos tapar o sol com a peneira”, disse.

Segundo ele, a diretoria está propondo, neste momento, uma reestruturação completa do clube e ressalta que uma S.A (Sociedade Anônima) não resolve os problemas do Tricolor. “Tudo vai mudar no Joinville, tudo vai ter que ser feito. Se você colocar uma S.A não vai resolver, tudo precisa ser reestruturado”, enfatizou. “Essa torcida não merece o que está acontecendo”, completou o mandatário Tricolor.

O resultado é péssimo para as pretensões do Joinville que luta contra o rebaixamento. A derrota somada aos resultados dos adversários coloca o Joinville com mais de um pé na série D. Estacionado com apenas 10 pontos, o Tricolor segue na lanterna do grupo B. Seis pontos separam o JEC do Ypiranga, primeiro time fora da zona de rebaixamento. E a próxima partida é contra um adversário direto na briga. No sábado (28), às 16h, o JEC enfrenta o Tupy, que está em penúltimo, com 14 pontos.

 

-

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?