Reconhecida como a maior festa de atiradores do Brasil, a Schützenfest começou quinta-feira (8) em Jaraguá do Sul, tendo a prática do tiro esportivo como uma das suas principais atrações até o dia 18 de novembro.

Grande parte do público se reúne nos estandes para mostrar sua habilidade e adquirir maior conhecimento sobre a atividade ainda pouco comum para muitas pessoas. Outros, acabam utilizando a Schützenfest como um incentivo para iniciar uma carreira no tiro olímpico.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

E exemplos que tomaram esse caminho não faltam na cidade. Seja por influência de familiares, amigos ou mesmo de forma pessoal, o tiro carrega uma tradição na região há mais de 100 anos e forma campeões no rendimento há mais de duas décadas.

Da Schützenfest passando pelas sociedades, os atiradores de destaque são recrutados para o Clube de Atiradores Jaraguá, que mantém uma hegemonia de conquistas por um longo período no Estado.

Atualmente, cerca de 50 atletas fazem parte da equipe, que disputa as quatro modalidades do tiro olímpico: carabina deitado, ar, seta e apoiado. Muitos já experientes e com grande bagagem no esporte, enquanto outros começam a trilhar seu caminho, chegando firme para ganhar seu espaço entre os ‘cascudos’ do CAJ.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

É o caso de Carlos Eduardo Lange, de 23 anos. Natural de Corupá, o atleta convive com o tiro esportivo desde os 10 anos de idade por influência de uma tradicional família alemã.

Em 2016, entrou para Sociedade Hansa Humboldt e começou a disputar campeonatos municipais, até que, neste ano, resolveu participar da 3ª etapa do Estadual, estreando na competição atingindo a pontuação máxima.

O destaque resultou em um convite do CAJ para integrar a equipe. Após um início tímido, Lange se aperfeiçoou com os treinamentos de duas a três vezes por semana e fechou os compromissos da temporada sendo campeão de sua classe no Catarinense.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Uma evolução que motiva o atirador a buscar voos ainda mais altos em 2019, além de demonstrar a força da nova safra do clube jaraguaense.

“É um prazer enorme estar no CAJ, que tem atletas com conhecimento técnico muito grande. Eles vem me ajudando muito e me motivando cada vez mais a seguir em frente. Por isso, espero um 2019 com grandes resultados e quem sabe ser campeão brasileiro”, destacou.

Sonho: stand próprio

As atividades na Schützenfest e nas mais diversas sociedades pela região servem como um start para o interesse de novos atletas ingressarem no tiro de rendimento. Mas apesar dos bons resultados em competições estaduais e nacionais, o Clube de Atiradores Jaraguá ainda esbarra na falta de um local próprio para treinamentos.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Desde 2000 acumulando a função de técnico/atleta, Samuel Lopes sonha em ver a cidade com seu próprio stand de tiro, que auxiliaria na criação de escolinhas para novos atletas, algo que existiu entre 1999 e 2001. E esse projeto pode sair do papel nos próximos dois anos, já que o município receberá os Jogos Abertos de Santa Catarina 2020.

Com isso, será necessário um local adequado para receber as disputas.

“Se esse local sair, o ciclo se completa, com um clube bem estruturado, uma base forte de atletas, conhecimento e equipamentos adequados. Então esses elementos vão fortalecer a nossa equipe e tInceu com o Carlos”, destacou Samuel.

LEIA TAMBÉM: Grandes conquistas: a história do Tiro Esportivo de Jaraguá do Sul

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?