Nesta semana, uma comitiva de Blumenau, composta pelo prefeito Mário Hildebrandt (sem partido), vereador Alexandre Matias (PSDB) e dirigentes do Clube Atlético Metropolitano, esteve em Brasília (DF) para reforçar a necessidade de recursos para a construção do estádio municipal de Blumenau, na Itoupava Central.

Acompanhado pelo deputado federal Peninha (MDB), o grupo se reuniu com o secretário nacional de Futebol, Ronaldo Lima, para apresentar o projeto, que foi encaminhado para análise do governo federal em 2017, mas desde então está parado.

“O secretário nacional nos apresentou duas alternativas. A primeira seria conseguirmos os recursos a fundo perdido, em uma operação junto à Caixa, mas sem nos dar uma perspectiva de prazo. A outra, mais viável para o momento, seria obtermos aprovação do projeto no âmbito da Lei de Incentivo ao Esporte, para captação de recursos junto a empresas da região, que destinariam parte do imposto de renda”, explicou o vereador Alexandre Matias.

De acordo com Matias, o representante do governo federal prometeu verificar o encaminhamento dado ao projeto e passar um posicionamento oficial em até 90 dias. Avaliado em R$ 12 milhões, o estádio foi projetado para um público de três mil pessoas.

Liberação do Estádio do Sesi

Em paralelo à articulação para viabilizar o estádio municipal, o vereador e os dirigentes do Metropolitano tentam reverter a decisão tomada pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) de não alugar mais o Estádio do Sesi, a partir de 2020, para partidas de futebol profissional (lembre aqui).

A medida foi anunciada em meados de abril e obrigaria os dois times da cidade, Metropolitano e Blumenau Esporte Clube (BEC), a mandarem os seus jogos em outros municípios.

Segundo o vereador, o deputado federal Peninha se comprometeu a marcar audiência com o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, para auxiliar nas negociações.

Quer receber as notícias no WhatsApp?