O presidente do Grêmio Esportivo Juventus, Cristiano Humenhuk, confirmou na manhã de sexta-feira (10) que permanecerá no cargo até o fim do seu mandato, que se encerra em 2020.

Uma informação divulgada pelo próprio dirigente no programa Arena OCP da última quinta-feira (9) dava conta da possibilidade do mesmo se desligar do clube ao fim desta temporada por motivos pessoais.

Leia também: 5 motivos que levaram o Juventus ao fracasso na Série B

Mas em reunião com os demais diretores na noite de quinta, Humenhuk decidiu seguir no comando do clube pelos próximos dois anos.

“Tenho a esperança que os apoiadores virão, acreditando na nossa credibilidade e que 2019 será o ano do acesso. Com força de vontade e foco no objetivo conseguiremos”, disse o mandatário.

Com uma vida ligada ao clube desde a década de 90, Humenhuk foi atleta nas categorias de base a partir dos 12 anos e depois fez parte da torcida organizada Raça Tricolor, antes de virar dirigente em 2012, quando a agremiação era presidida por Jerri Luft.

Ele assumiu a presidência em maio de 2018 após Sergio Luiz Meldola deixar o cargo, conduzindo o Moleque Travesso na campanha da Série B desta temporada, que terminou na última quarta-feira (8).

Sem atividades profissionais até dezembro, a cúpula tricolor trabalha em três frentes para manter o clube ativo.

Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Conforme revelado pelo presidente, está perto de ser concretizada uma parceria junto ao Flamengo para avaliação de jogadores, haverá o tradicional evento de encerramento do Juve com festival de futebol e jantar no estádio João Marcatto, além da fomentação das categorias de base.

Com relação a participação na Copa Santa Catarina, cogitada no início do ano, Humenhuk descartou a possibilidade devido aos custos previstos durante toda competição, que estão fora da realidade na atual situação do Tricolor.

“Participamos da primeira reunião e de imediato batemos o martelo que não iríamos participar. Somando transporte, hotel, alimentação, salários e outras despesas, gastaríamos em torno de R$ 200 mil. Então não teríamos condições”, destacou.

Confiante em uma retomada do Juventus no cenário estadual, o presidente ainda pediu o apoio da comunidade para tornar o clube ainda mais forte em 2019.

“Não estamos fazendo loucuras e sempre trabalhamos com o pé no chão, honrando com todos os nossos compromissos. Peço ao torcedor que tenha paciência e venha nos ajudar, porque eles vindo, os empresários também aparecerão. O maior patrimônio do Juventus é o torcedor e eles podem confiar nestes dirigentes, porque todos amam o clube”, finalizou.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?