Correr com o cachorro pode ser uma atividade prazerosa e saudável, tanto para o cão quanto para o dono. Porém, são necessários alguns cuidados básicos antes de sair para se exercitar com o animal de estimação.

Médica veterinária, Daniel Brecht deu as dicas para prática da corrida com cães | Foto Arquivo Pessoal

Especialista na área, Daniela Brecht de Freitas, médica veterinária e proprietária do Hospital Veterinário Amizade, passou oito dicas essenciais que as pessoas devem tomar para uma prática tranquila com seu 'pet'. Confira abaixo:

1. Particularidades raciais

Identificar se o cão tem característica e recomendação para uma atividade física mais intensa, levando em conta algumas particularidades raciais.

Para aqueles que tem o fucinho achatado, como bulldog francês, bulldog inglês e pug (foto abaixo), por exemplo, há de ter um cuidado maior, pois essa questão anatômica pode desfavorecer a respiração.

Foto Divulgação

2 - Horários

Horários muito quentes do dia, a partir das 10h até 18h, não são recomendados. O cachorro não tem a mesma capacidade de suor do ser humano e faz com que fique mais exposto ao stress térmico e uma hipertermia que pode trazer problemas sérios à saúde.

3. Alimentação e hidratação

Cães de porte grande não devem se alimentar ou ingerir água em excesso, previamente as corridas. Se eles enchem muito o estômago e se movimentam em demasia podem ficar expostos a um quadro de torção ou dilatação gástrica, tratado como urgência veterinária.

Foto Divulgação

4. Vacinação

É essencial que todo e qualquer cão que tenha acesso à rua para passeios, caminhadas ou corridas estejam com as vacinas e vermífugos (medicamentos) rigorosamente em dia.

Atenção especial as vacinas, justamente pelo risco de contágio de doenças infecciosas em ambiente externo. Os filhotes só devem iniciar a prática após o término do esquema vacinal, que dura de quatro a cinco meses.

5. Preparação

Ao iniciar uma atividade física de competição é importante existir um preparo do cão. Que tenha mais um ano de idade, o controle veterinário de vacinas e exames, e uma forma física em boas condições.

Cachorros com caraterísticas mais agressivas, que possam colocar em risco outros corredores, não é indicado.

Foto Divulgação

6. Nutrição veterinária

O manejo nutricional tem de ser algo individualizado para cães de competição. É recomendado passar por uma nutricionista veterinária, que possa de acordo com o porte e necessidade do cão, fazer a prescrição de uma dieta que vá atender toda necessidade muscular e óssea adequada para atividade.

Foto Divulgação

7. Acompanhamento veterinário

É sempre importante o acompanhamento veterinário para que o profissional dê a orientação se o cão tem perfil para corrida e atividades físicas mais intensas.

Não só relacionada a padrão racial, mas de saúde. Cães cardiopatas, com problemas de coluna, obesos, são particularidade que o médico veterinário vai avaliar se pode fazer ou não a atividade física.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?