União de esforços e cooperação foram a principais armas de Jaraguá do Sul no enfrentamento à pandemia de Covid-19. Empresas reformularam suas linhas de montagem e desenvolveram soluções para o enfrentamento do vírus, entre ventiladores pulmonares de pequeno porte (pela Bold), readequação de parques fabris para produção de álcool gel, medida tomada pela WEG Tintas, e esforços unificados para produção de equipamentos médicos.

Uma das primeiras medidas nesse sentido foi a decisão de reunir várias frentes no dia 12 de março, buscando unificar o enfrentamento ao vírus. Nesta data, Santa Catarina registrava as primeiras confirmações de contágio pela doença que, no dia anterior, havia sido definida pela Organização Mundial da Saúde como situação de pandemia devido a ocorrências em vários países de todos os continentes.

Para o presidente da Acijs e do Centro Empresarial de Jaraguá do Sul, Luis Hufenüssler Leigue, os resultados que o município vem alcançando no enfrentamento à pandemia se deve à assertividade na tomada de decisões e na soma de esforços de vários segmentos que há mais de um ano atuam de maneira integrada.

Presidente da ACIJS - Luis Hufenüssler Leigue

A sinergia entre iniciativa privada, segmentos organizados da sociedade civil e poder público, opina o presidente da Acijs, assegura uma perspectiva de que a continuação de esforços e o engajamento cada vez maior da população no respeito aos regramentos definidos nos protocolos de saúde, permitam ao município mitigar os impactos da pandemia na economia e no ambiente social.

Antes mesmo de ações do Governo do Estado em decretar em 17 de março o primeiro período de quarentena e as medidas de isolamento social, que depois se tornaram ainda mais restritivas a vários setores da sociedade, a associação liderou a formação de um comitê microrregional e a criação da Central de Prevenção.

Baseada em uma plataforma digital, a ferramenta mantém o objetivo de centralizar informações sobre a doença, disseminar medidas de orientação e reforçar os protocolos de segurança sanitária para empresas e comunidade.

A plataforma reúne informações de órgãos públicos e da iniciativa privada, além de notícias da imprensa e dados fidedignos que combatem fake news, além de incluir práticas preventivas e de contenção adotadas pelas empresas locais. Além da Acijs, estão integradas à plataforma o Cejas (Centro Empresarial), Aciag (Guaramirim), Aciac (Corupá), Aciam(Massaranduba), Acias(Schroeder), ABRH, Prefeitura, Amvali, Scar, Hospitais São José e Jaraguá, Sesi, Senai, Sesc, Católica SC, entre outras entidades com apoio técnico da agência Oodles.

Por sua vez, o poder municipal manteve uma atuação direta quanto à pandemia, com acompanhamento diário dos números da pandemia, produção e distribuição de itens essenciais como máscaras, e uma série de decretos tentando equilibrar as necessidades dos setores produtivos com o enfrentamento à doença.

Esse conjunto de providências tornou o município referência no Brasil porque permitiu à cidade minimizar de modo significativo os impactos da doença, com reflexos no quadro atual. É o caso dos protocolos nas empresas, que ajudaram muito a manter os indicadores em menores taxas em proporção ao número de habitantes, em comparação a cidades do mesmo porte.

A inclusão dos trabalhadores da indústria, anunciada há alguns dias pelo estado, já vinha sendo articulada pela classe empresarial, corroborando a posição da entidade de que o ambiente industrial já vinha desde o início da pandemia tomando os cuidados necessários e seguindo as diretrizes dos órgãos de saúde.