Foto Divulgação
Foto Divulgação

Algo pessoal e feito com prazer. É dessa forma que Frederico Elboni, 28 anos, se sente todas as vezes em que senta em frente ao seu computador para deixar fluir em palavras tudo aquilo que tem guardado em sua mente e seu coração.

Escritor e autor de seis livros, Fred, como é conhecido por todos, já foi roteirista por quase dois anos do programa da Globo “Amor & Sexo". Atualmente, possui mais de 1 milhão de inscritos em seu canal no YouTube e 670 mil seguidores no Instagram. Acima de tudo traz algo que não pode ser mensurado por meio de números: o dom de criar conexão verdadeira entre as pessoas.

Confira a segunda entrevista da série com influenciadores digitais que se destacam por mobilizar e influenciar as opiniões e atitudes de milhares de pessoas acerca de temas variados.

OCP News Vale Europeu: Você já tinha intenção de ser um influenciador digital ou aconteceu naturalmente?

Frederico Elboni: Aconteceu muito naturalmente para mim, foi algo muito orgânico. Eu gostava de escrever e comecei a fazer isso na internet, foi quando acabei criando um certo público. Como eu queria poder conversar com esse público, vi que precisava consolidar, principalmente porque no Brasil esse tipo de trabalho precisa ser multiplataforma. Então, fui para as redes sociais, Instagram, YouTube e Facebook para ter mais contato com eles. Não foi nada que parei para planejar e escrever.

Foto Divulgação

O que te motivou a escrever sobre assuntos comportamentais e afins?

A minha motivação foi totalmente empírica. Comecei a escrever sobre coisas que sentia, quando comecei a viajar, ver as pessoas pelo mundo, sentir e escrever sobre elas. Foi assim que comecei a abrir um leque enorme sobre sentimentos, sobre pessoas, sobre coisas do gênero. Foi como uma visão quase sensível do mundo, como se fosse um fotógrafo. Ele não está sempre atento ao que dá uma foto? Então, eu estou atento ao que dá um texto, o que dá um livro.

Desde quando você produz esse tipo de conteúdo?

Vão se fazer 10 anos já. Em 2009, comecei com um blog, já meu primeiro livro saiu em 2014, o canal no YouTube saiu em 2015, e assim por diante.

O que você busca trazer para os seus seguidores?

Meu objetivo é potencializar a liberdade deles, esse é o grande ponto. Como eu consegui potencializar a minha, eu acho que isso eu devolvo de certa forma para eles. Isso é algo muito pessoal, para mim não deixa de ser uma meditação, uma coisa que me divirto quando faço. Quando eu falo, eu falo para mim também. É um prazer pessoal. É algo que faço por mim e que reflete para eles. Principalmente nos livros, tem uma autoanálise, tem uma busca, mas a grande constante é trazer o conteúdo sobre sensibilidade, sobre vida, comportamento, pessoas, abrir a cabeça, refletir sobre um assunto.

De que forma você sente que o seu conteúdo impacta na vida das pessoas?

Acredito que impacta a vida das pessoas de forma que elas se sentem mais seguras em ser quem elas são. Como tenho muitas coisas que me exponho, as pessoas sentem que se me exponho dessa forma e as pessoas aceitam como sou, por que elas não podem se expor e ter também essa aceitação do mundo? De poderem ser elas mesmas e poderem se cobrar menos.

Como você sente essa responsabilidade de ter influência na vida de tantas pessoas? Como é a sensação disso?

Sempre teremos uma responsabilidade na vida das pessoas, porque você está expondo uma opinião. Temos que ser muito claros e honestos com ela. Você se ausentar totalmente da responsabilidade também é uma coisa um pouco impensada. É como um jornalista. Você tem que ter uma veracidade, isso está em jogo, até porque você está conversando com as pessoas, ajudando elas a tomarem alguma atitude. Porém ao mesmo tempo em que temos a responsabilidade, também não podemos pensar em todos os quesitos, principalmente quando escrevemos, porque senão você se imune de tantas coisas que você perde a sua essência.

Foto Divulgação

Você já teve algum retorno de alguém que tenha utilizado as suas dicas e que tenha contribuído para ajudar no dia a dia dela? Como foi?

Ah, muito! Todos os dias recebo algum retorno. Por mais que o meu intuito não seja dar dicas, mas conversar sobre a vida, as dicas acabam estando contidas ali. Levo da forma que vamos conversar e se você extrair algo de legal, ótimo. Você ajuda as pessoas a serem mais elas. Mais verdadeiras, mais sinceras e a ser cada vez mais você mesmo. É mais a forma como lidamos com o que acontece do que sobre as coisas que acontecem com a gente. Términos de relacionamentos, perder algum ente querido, entre outros, é algo que pode acontecer com qualquer um, mas como eu vou lidar com essas situações e como você vai lidar com ela são coisas diferentes.

O que você diria para uma pessoa que tem essa vontade de ser influenciador?

A dica mais importante que posso dar é: nunca faça nada pensando que quem vai ver são as pessoas que te conhecem, porque nem sempre elas te darão a segurança que você precisa e isso pode te barrar muito. Você precisa abrir sua cabeça e ir pela sua essência, pelo o que você acredita. Você precisa gostar, pois às vezes você fica dois, três anos ou mais dando o seu melhor, mas não dá resultado. Porém só de você ter uma pessoa que te acompanha, você sente que tem voz, que tem pessoas que gostam do que você faz e que te acompanham. É singelo! Tenha foco e paciência, pois demora, vai devagar, mas no final vale a pena.

Quer receber as notícias no WhatsApp?