Corupá completa nesta terça-feira (7) 123 anos. A data de fundação em 1897 refere-se ao dia em que Otto Hillbrecht, Otto Hillbrecht Filho e Wilhelm Ehrhardt compraram os primeiros lotes coloniais. Primeiramente o município chamava-se Hansa Humboldt em homenagem ao naturalista alemão Alexander von Humboldt.

De acordo com a corupaense, especialista em Gestão e Políticas Culturais e presidente do Instituto Catarina Brasilis, Roseli Siewert, antes mesmo da fundação oficial de Hansa Humboldt, já eram conhecidos os acidentes geográficos de Corupá, tais como as serras e principalmente as fortes e altas quedas de água, características que fazem até hoje o município ser destaque.

Colonizado por imigrantes italianos, austríacos, suíços e, principalmente, por alemães, o município passou a ser denominado Corupá a partir de 1 de janeiro de 1944. Roseli explica que Corupá significa “paradeiro de seixos, lugar de muitas pedras”, mas, ela ressalta que existem estudos sendo feitos por profissionais que estudam a literatura indígena que a real tradução do nome seja “beira, margem, beirada, borda”.

Foto Divulgação/Prefeitura de Corupá

O prefeito João Gottardi, pontua que a história de Corupá, hoje com aproximadamente 16 mil habitantes, é marcada pela garra dos agricultores familiares e empreendedores que transformaram a cidade em um importante polo industrial e o principal exportador de banana no Estado.

"Eu sempre digo que o diferencial são nossas pessoas. Todo mundo arregaça as mangas em Corupá. Nossos empreendedores, agricultores e trabalhadores são muito guerreiros. Estamos trabalhando para oferecer melhores serviços a esta população".

Baseada na agricultura, em especial a bananicultura, a economia local também se atrela ao cultivo em grande escala de plantas ornamentais, orquídeas e bromélias, que hoje abastecem os mercados nacional e internacional. Já na indústria, destaque para o setor têxtil e metalmecânica.

Além disso, ele enfatiza que a administração tem investido na exploração das belezas naturais. "Queremos que nossa cidade também conquiste este reconhecimento: uma das melhores regiões do Estado para se visitar."

O potencial do ecoturismo tem sido pontuado já que o município se destaca pelas inúmeras cachoeiras, entre elas, a mais famosa, a 14ª cachoeira da Rota das Cachoeiras, denominada Salto Grande, que possui 125 m de queda livre, além de outras belezas naturais.

Cultura

De acordo com Roseli, a alegria do povo corupaense continua nos bailes e nas festas de Rei e Rainha das Sociedades, no tradicional som do bandoneon e dos grupos de acordeões. Na esquina das ruas onde se ouve as pessoas falando a língua alemã, italiano e polonês.

Na dedicação do trabalho manual dos artesãos e nos encantadores grupos de dança gaúcha. Na concentração dos que fazem teatro e que levou o município a ter uma atriz global, a Bruna Linzmeyer.

"Ainda somos regados da nossa deliciosa gastronomia e do café, produzido por algumas famílias de Corupá. Assim é o nosso corupaense: forte, guerreiro, determinado e muito alegre", enaltece.

Muita luta e determinação marcam o ano de 2020

Gottardi detalha que apesar da arrecadação ter aumentado nos primeiros anos do atual governo, que passou de R$ 42 milhões para mais de R$ 50 milhões, neste ano, haverá uma redução devido à crise em relação a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

"Tivemos que cortar alguns projetos que sonhávamos cumprir em nossa gestão. O foco foi totalmente para a saúde e na vida das pessoas. Agora, vamos também trabalhar para restabelecer os estragos feitos pelo ciclone extratropical que ocorreu na última semana", finalizou.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul