O ato do voluntariado é um ato de amor, quando se trata de salvar vidas, este amor é ainda mais benevolente. Não existe nenhuma recompensa financeira, é fato, mas poder contribuir com o resgate de vidas é algo inestimável. É este o principal diferencial entre aqueles que estão na corporação há tantos anos, coragem, bravura e o amor, sem esperar nada em troca.

Ser parte do Corpo de Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul é uma missão para poucos, afinal, nem sempre é possível efetuar resgate ou o atendimento e sair vitorioso, muita vezes, o cenário e o destino colocam um ponto final antes mesmo da chegada dos nossos heróis. Estas infelicidades, também fazem parte da vida de um bombeiro, lidar com o fim, lidar com o luto, saber administrar as emoções e as lembranças, como dito, tarefa para poucos. É nessas horas, que devemos prestar nossas homenagens ainda mais entusiasmadas aqueles que colocam a vida em perigo por estranhos, aqueles que lutam diariamente com o sentimento de urgência, de perdas e ainda assim, continuam de cabeça erguida, preparados para uma nova ocorrência, para o disparo da sirene, a postos para a batalha de salvar vidas!

O depoimento de alguns talvez não abrace a experiência de todos, mas nos ajuda a entender o amor pela corporação e os momentos bons e difíceis no dia-a-dia de um bombeiro voluntário.

José Victor de Pin 5 anos de corporação

"Desde criança, quando descobri o papel fundamental de um bombeiro na sociedade fiquei muito interessado em um dia poder contribuir com essa causa, até porque desde lá, quando escuto uma sirene vou correndo ver.

Durante minha trajetória desde bombeiro mirim atuando na corporação, destaco como grande aprendizado pessoal e profissional, a responsabilidade perante a sociedade, em poder ajudar e contribuir com a necessidade do próximo, visando sempre uma resposta positiva para as pessoas que necessitam um atendimento e também para a sociedade em geral.

Em nosso dia-a-dia de atuação como bombeiros voluntários, estamos sempre preparados e dispostos a darmos o nosso máximo para que tudo acabe sempre da melhor forma. No entanto, isso não é uma regra, algumas vezes temos um final triste, mesmo que sempre estejamos lutamos para um resultado positivo. Mas enfatizo também, que passamos por momentos gratificantes de reconhecimento em um simples agradecimento como um “muito obrigado”, da pessoa que ajudamos e / ou salvamos no passado."

José Victor de Pin 5 anos de corporação

Jackson Luis Meyer 10 anos de corporação

"Atuo há 10 anos como bombeiro voluntário nesta instituição, mas a minha história começou há muito tempo! Assim como toda criança, as sirenes e as viaturas faziam os meus olhos brilharem, sempre que passava pela frente da corporação fazia com que a minha mãe parasse, para que eu pudesse ficar olhando os caminhões.

Foi então que ingressei no projeto bombeiro mirim aos 13 anos, onde aprendi muito mais do que ser apenas um bombeiro, aprendi a amar esta instituição e acreditar que as pessoas podem sempre se doar por uma causa justa e melhor.

Entendi que somos únicos e que não importa quem atendermos nas ruas, precisamos fazer sempre o nosso melhor. Por isso, se me perguntarem qual foi a ocorrência que mais me marcou, afirmo com toda a certeza, de que todas as ocorrências me marcaram e me fizerem um cidadão melhor."

Jackson Luis Meyer 10 anos de corporação

Cristian Marcos Zellner 15 anos de corporação

"Me lembro até hoje do dia que decidi que seria bombeiros voluntário, fiz minha formação no primeiro curso ministrado pelo Senac em 2006, na época foram escolhidos 40 voluntários, porem no final do curso restaram apenas 26. Na época, foi bastante intenso, pois eu trabalhava em uma empresa no terceiro turno e o curso era o período da manhã, as 8h, eu ia para os treinamentos mesmo sem dormir, virado! Não me arrependo, cada momento valeu a pena! Se fosse preciso, faria tudo novamente.

Recordo também do momento mais triste que passei na corporação, a tragédia de 2008 ficará para sempre marcada na minha história. A cidade estava um caos com enchente e desmoronamento das encostas e de casas. Sofri junto com as famílias que perderam suas casas e participei do resgate de uma família inteira soterrada pela lama.

É claro que também me lembro do momento mais feliz na corporação, um nascimento, um parto. Ajudei a dar a luz a uma criança, dentro da ambulância. Trazer uma vida ao mundo é uma experiência indescritível. Levarei esta lembrança comigo, para sempre.

A importância dos bombeiros na minha vida nesses 15 anos, é o reconhecimento da comunidade, que sempre está ao nosso lado, nos apoiando. A corporação é como uma segunda família, fiz muitos amigos durante esse tempo! Servir a corporação é uma honra!"

Cristian Marcos Zellner 15 anos de corporação

Alcionir Vieira 20 anos de corporação

"Meu nome é Alcionir Vieira, sou bombeiro voluntário em Jaraguá do Sul. Iniciei como voluntário há 3 anos e fiquei outros 13 anos como efetivo, depois voltei a ser voluntário. Atualmente pedi licença para abrir o meu próprio negócio, mas a história nesses anos todos de corporação marcaram a minha vida.

A minha história começou há 20 anos quando um amigo me convidou para fazer um curso na corporação, mas fiquei indeciso se ia ou não, porem meu coração bateu mais forte e tive todo o apoio da minha família. Foi aí que de fato tudo começou, treinamentos, cursos e amizades e assim fui cada vez ficando mais envolvido e gostando mais de estar na corporação.

Cada ocorrência é uma experiência, uma história diferente. Poder ajudar as pessoas, ter sucesso em salvar vidas, resgatar as pessoas de acidentes, das ferragem de veículos, pode aparentar uma cena de terror, mas quando há Deus ao nosso lado, ajudando e mostrando o melhor caminho para sair tudo bem com as vítimas e nossas guarnições, sempre é uma boa recompensa.

No começo fiquei ansioso, sabendo que depois de 5 anos ganharia uma plaquinha de mérito, quando chegou o dia fiquei tão feliz que já comecei a me dedicar pensando na de 10 anos, e assim foi a de 15 anos e agora com a de 20 anos. Tenho muito orgulho em fazer parte do corpo de Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul e sinceramente? Já estou pensando na data dos 25 anos junto da corporação."

Alcionir Vieira 20 anos de corporação