Chegou! O Festival de Dança de Joinville já está entre nós, chamando todos os sentidos e o noticiário cultural para sua grandiosidade, que só parece aumentar, mesmo aos 36 anos de idade.

A maratona de duas semanas de apresentações, cursos e seminários começa nesta quarta-feira (18), movimentando 7 mil bailarinos e outros milhares de amantes da dança.

Leia mais: Oficina produzirá espetáculo para o Festival de Dança de Joinville

1 - Euneci Longo

Por meio da técnica giz pastel seco sobre papel, a artista Eneuci Longo mostra retratos hiper-realistas de idosos. As 11 telas expostas revelam histórias e sentimentos fazendo com que os observadores possam refletir sobre a experiência humana.

Quando: até 31 de julho, no Garten Shopping (Espaço Garten).

2 - Quinteto Enraizados

Formado pelos tarimbados Marcos Archetti (contrabaixo), Edilson Forte (piano), Gledison Zabote (saxofones), Rafael Vieira (bateria) e Gabriel Vieira (violino), o grupo instrumental joinvilense divulga seu primeiro CD, composto por canções autorais que aliam o jazz a sonoridades brasileiras e argentinas.

Quando: quarta (18), às 22h, na 33Arthouse (rua Bento Gonçalves, 33).

3 - Festival de Dança de Joinville

A abertura oficial da 36ª edição conta com a Cia. Brasileira de Ballet, do Rio de Janeiro (foto no alto), uma das mais importantes do País. O grupo de 42 bailarinos apresentarão, sob a direção de Jorge Teixeira, o clássico da dança clássica “O Lago dos Cisnes” (foto), que vem sendo mostrado pelo Brasil desde 2012.

Será o retorno do grupo à Joinville, onde esteve em 2014 participando da terceira edição do Projeto Aplausos.

Quando: quarta (18), às 20h, no Centreventos Cau Hansen.

4 - Whindersson Nunes

O mais famoso youtuber do Brasil apresenta por aqui seu novo espetáculo, “Eita, Casei!”. Nele, o comediante conta como foi o processo do seu casamento, da escolha do vestido da noiva aos padrinhos. Além disso, ele conta, com muito bom humor, como é a vida de casado.

Quando: quinta (19), às 20h, no Joinville Square Garden.

&t=202s

5 - Caos da Manhã

O músico Ricardo Ledoux chega às últimas datas da circulação do show “Caos da Manhã”, que também contou com uma oficina de musicalização.

Ao lado do baixista Marcos Archetti e do baterista Lucas Baumer, ele oferece uma proposta musical cheia de conceitos e que se apropria da ideia de caos para recompor, reconstruir e estabilizar.

Quando: quinta (19), às 20h, no galpão da Ajote, e sexta (20), às 20h, no Sesc.

Dani Rieper, divulgação

6 - LaBaq e Napkin

A cantora paulista Larissa Baq, ou LaBaq, volta à Joinville após três anos. Nesse período, viu seu status na cena independente nacional crescer, graças ao disco “Voa”, de 2016, belo exemplar de suas canções intimistas e poéticas, pontuadas pela voz imponente.

A Napkin abre a noite com seu indie rock consagrado “em casa” em fora dela.

Quando: sexta (20), às 21h, na 33Arthouse (rua Bento Gonçalves, 33)

7 - Cachorro do mato e Guto Bemposta

Jean Reeck e cia. convidam para mais uma sessão de descarrego de seu folk indie. A promessa é tocar canções do EP e algumas novidades, além de receber o guitarrista Marcelo Rizzatti (Os Depira) no palco.

Já Guto, vocalista da Fevereira da Silva, toca canções de seu disco solo, de 2015, e relê faixas de bandas da cidade.

Quando: sábado (21), às 19h, na Casa 97 (rua Arco-íris, 97).

8 - DJ Motv8

Monroe Walker, mais conhecido como Motiv8, foi o DJ original do Black Eyed Peas, antes mesmo do grupo atingir o sucesso mundial no começo dos anos 200.

Walker ficou com a banda por 15 anos e hoje discoteca em festas e baladas ao redor do planeta. O evento na Sky Hall ainda conta com os DJs Mazinho e Jay Lipe.

Quando: sábado (21), às 23h, na Sky Hall (avenida Gastronômica).

9 - Bebê Kramer e Paulinho Fagundes

Natural de Vacaria, hoje radicado no Rio de Janeiro, Bebê Kramer é um dos nomes mais significativos da nova geração de acordeonistas.

Sem esquecer as origens, ele divide o palco com outro grande nome da música gaúcha, Paulinho Fagundes, conceituado violonista/guitarrista do Sul. Com o show "De Mano", o duo de acordeon e violão mistura ritmos como o chamamé, vanerão, baião e choro.

Quando: domingo (22), às 20h, no Sesc.

10 - Mirian Puerta

Com curadoria de Marc Engler, a exposição “Entre Cores e Mundos”, de Mirian Puerta, reúne uma parcela do trabalho da artista, no qual pinturas, teares e fotografias formam um universo de criatividade envolto em linhas, traços e cores.

Um fluxo intenso e intuitivo, hora conduzido por pincéis, hora por fios, que através do tear, entrelaçam e experimentam novas possibilidades e criam trabalhos originais produzidos com tintas, fios, materiais naturais, descartes e retalhos acumulados pela artista.

Quando: até 8 de agosto no Garten Shopping (em frente ao Madero).