A WEG recebeu recentemente o Selo Nacional de Responsabilidade Social Ciclo 2019/2020 - Selo Resgata, por contribuir para a reinserção de detentos e egressos do sistema prisional no mercado de trabalho.

Criado por uma portaria publicada em 2017, o Selo Resgata é uma iniciativa do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) para reconhecer empresas, órgãos públicos e outros empreendimentos que contratam presos, ex-presos e aqueles que cumprem penas alternativas à prisão.

 

 

A WEG contribui com o programa desde 2002 levando trabalho para dentro do Presídio de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, onde fica a matriz do Grupo.

Dos 550 presos no município, 215 prestam serviços para empresas da região. Destes, 79 trabalham exclusivamente na montagem de drives, controls, acionamentos e motores, da WEG.

Na unidade da WEG em Linhares, no Espirito Santo, a companhia também iniciou em 2017 um programa de reinserção. Lá, diferente do que acontece em Jaraguá do Sul, 14 apenados em regime semiaberto se deslocam diariamente até a empresa para trabalhar.

“Este é um programa importante para a ressocialização dos presos e para a manutenção do sistema prisional brasileiro. O trabalho dos apenados gera valor para a empresas que os contratam, renda e diminuição de pena para os trabalhadores e recursos para o Estado manter as penitenciárias”, explica Hilton José da Veiga Faria, Diretor de Recursos Humanos e Relações Institucionais da WEG.

Neste ano, 198 empresas públicas e privadas foram habilitadas com o Selo Resgata 2019/2020. Dados divulgados pelo Ministério da Justiça mostram que há 127.514 mil presos trabalhando em todo o país.

Roraima, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e São Paulo são os estados com mais presos trabalhando.

Com informações de assessoria de imprensa.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?